Música

Sinfônica de CAMPINAS recebe ex-integrantes em concerto com Nelson Freire

Em mais um evento para comemorar seu aniversário de 90 anos, a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas recebe neste fim de semana, para um concerto especial, a participação de ex-integrantes do grupo e do pianista Nelson Freire.  Sob a batuta do maestro titular Victor Hugo Toro, as apresentações acontecem no sábado, 26 de outubro, às 20h, e no domingo, 27, às 11h , no Teatro Castro Mendes.

No repertório,  “Il Guarany, Protofonia” e “A Noite do Castelo, Prelúdio” do compositor Carlos Gomes, o mais importante compositor de ópera brasileiro.

Na sequência, “Lohengrin, Preghiera Atto I”, de Richard Wagner, e “Valse-Caprice (orquestração Müller-Berghaus)”, de Anton Rubinstein; “ Intermezzo da Cavalleria Rusticana”, do compositor italiano Pietro Mascagni; e  “Concerto para piano e orquestra N° 5, Op. 73, “Imperador””, de Ludwig van Beethoven.

Constam, ainda, do repertório, “Ária da Suíte orquestral nº3 em ré maior, BWV 1068, Ária”, do compositor Johann Sebastian Bach; e L´Arlesienne – Suíte II, do compositor francês Georges Bizet e também  “Euryanthe, Abertura” do compositor Carl Maria von Weber.

Memória

Para celebrar os 90 anos da “Nobre Senhora OSMC”, o maestro e diretor artístico Victor Hugo Toro convocou, em agosto, os músicos que tenham sido parte oficial da rica história da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Os músicos que participarão do concerto especial de forma espontânea e voluntária são: Ana Eleonor Ramalho (violino), Angela Monteiro da Silva (cello), Antonio Mariano Thomazini (contrabaixo), Elazir Martins de Lima (viola), Elizabeth Viana de Carvalho (cello), Érico Amaral Junior (cello), Frederico José V. de Magalhães (viola), José Eduardo D’Almeida (viola),  Maurizio Maggio (violino),  Meila Tomé (violoncelo), Paulo Adriano Ronqui (trompete), Renato Régis de Almeida (violino) e Sérgio Luiz Pinto (contrabaixo).

Nelson Freire  

Desde menino mostrou excepcional talento para a música e para o piano. Estudou com Nise Obino e Lúcia Branco e fez sua primeira apresentação pública aos quatro anos de idade. Aos 12, interpretando o concerto Imperador de Beethoven, foi premiado no Primeiro Concurso Internacional de Piano do Rio de Janeiro, recebendo uma bolsa de estudos do governo brasileiro para estudar em Viena com Bruno Seidlhofer.

Em cinco décadas de dedicação à música, tocou com regentes ilustres como Sir Colin Davis, Pierre Boulez, Riccardo Chailly, Charles Dutoit, Valery Gergiev, Eugen Jochum, Lorin Maazel, Rafael Kubelik, Kurt Masur, Rudolf Kempe, Vaclav Neumann, Seiji Osawa, Michel Plasson, André Previn, David Ziman.

Dentre as orquestras com as quais já colaborou, destacam-se as Filarmônicas de Berlim, Munique e Roterdã, as Sinfônicas de Viena e Londres, as Orquestras do Concertgebouw de Amsterdã e do Tonhalle de Zurique, a Bayerische Rundfunk, a Gewandhaus de Leipzig, a Royal Philharmonic Orchestra de Londres, a Orchestre National de France, a Orchestre de Paris, a Filarmônica Checa, a Sinfônica de São Petersburgo, a Filarmônica de Israel e a Tóquio NHK. Na América do Norte, tocou com as orquestras de Nova Iorque, Filadélfia, Boston, Chicago, Cleveland, Los Angeles, Baltimore e Montreal.

Em festejado duo com a pianista argentina Martha Argerich, apresentou-se no Japão, Europa, Estados Unidos, Argentina e no Brasil.

Sua discografia inclui registros para os selos Sony/CBS, Teldec, DGG, IPAM e London. Em 1999 a Philips lançou um CD de Nelson Freire na série Great Pianists of the 20th Century. Sua gravação dos 24 Prelúdios de Chopin (CBS) recebeu o Prêmio Edison. Desde 2001, grava com exclusividade para o selo DECCA, pelo qual lançou seis elogiadíssimos álbuns: Chopin (2002), agraciado com os prêmios Diapason D´Or, Grand Prix de l´Académie Charles Cros, Choc du Monde de la Musique, 10 by Repertoire e Clássica; Schumann (2003); Chopin (2005), indicado como melhor gravação solo pelos prêmios Grammy, Diapason d´Or e Choc du Monde de la Musique; concertos de Brahms (Gewandhaus de Leipzig/Riccardo Chailly) “Melhor do Ano” pela revista Grammophone; Beethoven (2007) e em 2008, Debussy. Seu álbum duplo com a gravação dos Noturnos de Chopin (2010) foi indicado para o prêmio Grammy, em 2011. O CD “Nelson Freire Brasileiro: Villa-Lobos & Friends”, lançado em 2012, recebeu a unanimidade da crítica especializada internacional.

Em 2003 o cineasta João Moreira Salles estreou o documentário Nelson Freire- um filme sobre um homem e sua música, comovente retrato do pianista, de sua vida e sua arte.

Victor Hugo Toro 

Nascido em Santiago do Chile, realizou estudos de regência orquestral e graduou-se pela Faculdade de Artes da Universidade do Chile. Foi vencedor do II Concurso Internacional de Regência Orquestral Prêmio OSESP – Organizado pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e tem sido convidado a reger as mais importantes orquestras de seu país, tais como as Sinfônicas do Chile, Antofagasta, Concepción, La Serena, Orquestra Clássica da Universidade de Santiago, Orquestra de Câmara do Chile, Orquestra de Câmara de Valdivia e Orquestra Nacional Jovem. Além da Osesp, onde foi regente assistente e apresentou importantes peças do repertório universal, assim como primeiras audições de repertório brasileiro, tem sido convidado a reger a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, Sinfônicas da Bahia, do Paraná, Porto Alegre, Caxias do Sul, Camerata Antiqua de Curitiba, Sinfônica do Sodre (Uruguai), Filarmônica de Montevidéu, da Universidade Nacional de Cuyo (Argentina), de Rosário (Argentina) e Filarmônica da Universidade Nacional Autônoma do México (OFUNAM).

Victor Hugo Toro é também compositor e suas obras têm sido interpretadas por diversos grupos sinfônicos e de câmara. Foi escolhido um dos 100 líderes jovens do Chile pelo jornal “El Mercurio” e recebeu uma homenagem da Câmara Municipal de São Paulo pelo seu trabalho em prol da música, da sociedade paulistana e do intercâmbio cultural entre Chile e Brasil.

Foi regente principal da Orquestra Sinfônica do SODRE, no Uruguai, e regente residente da Companhia Brasileira de Ópera, com quem realizou uma grande turnê de 89 espetáculos por 15 cidades brasileiras. Foi laureado pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino com a Ordem do Mérito Cultural “Carlos Gomes” no grau de comendador; recebeu de parte da Câmara Municipal de Campinas a medalha “Carlos Gomes”, pelos relevantes serviços prestados à cidade.

SERVIÇO

Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas

Horário: 26/10 sábado , às 20h

27/10  domingo, às 11h.

Local: Teatro Castro Mendes (Praça Corrêa de Lemos,s/nº, Vila Industrial. Campinas). Telefone (19) 3272-9359.

 

Ingressos

Sábado

Inteira: R$ 150,00 plateia, R$ 90,00 mezanino

Meia: R$ 75,00 plateia , R$ 45,00 mezanino.

Estudantes, aposentados e maiores de 60 anos :R$ 75,00 plateia , R$ 45,00 mezanino.

Professores das rede pública e privada de ensino e pessoas com deficiência e mobilidade reduzida: R$ 50,00 plateia , R$ 30,00 mezanino.

Estudantes da rede municipal e estadual de ensino: R$ 25,00 plateia , R$ 15,00 mezanino

 

Domingo

Inteira: R$ 150,00 plateia, R$ 90,00 mezanino

Meia: R$ 75,00 plateia , R$ 45,00 mezanino.

Estudantes, aposentados e maiores de 60 anos :  R$ 75,00 plateia , R$ 45,00 mezanino.

Professores das rede pública e privada de ensino e pessoas com deficiência e mobilidade reduzida: R$ 50,00 plateia , R$ 30,00 mezanino.

Estudantes da rede municipal e estadual de ensino: R$ 25,00 plateia , R$ 15,00 mezanino

 

Observação

Expressamente proibida a entrada após o início do concerto.

Não será permitida a entrada de menores de 6 anos no concerto.

Imagem: Divulgação

Mais em: Campinas

Mais Acessadas

Início