Comportamento

Saiba como escolher o melhor profissional para sua intervenção estética

Tomar todos os cuidados é importante para evitar uma complicação.

As intervenções estéticas estão em alta, e muitas mulheres estão recorrendo a esse recurso para melhorar a autoestima. Segundo dados da SBPC (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) intervenções estéticas não cirúrgicas cresceram 390% nos últimos dois anos. O Brasil é o segundo país que mais realiza esse tipo de procedimento, atrás somente dos Estados Unidos. Parte da razão do aumento da procura de intervenções estéticas não cirúrgicas é o tempo de recuperação menor e os riscos considerados mais baixos. Porém, há casos mal sucedidos, com complicações tanto no pós-procedimento quanto no momento de realização do mesmo.

Procedimentos injetáveis, como harmonização facial, preenchimentos, bioestimuladores, entre outros, podem levar a complicações graves como oclusão arterial, o que leva à necrose da pele. Para diminuir o risco, é essencial saber escolher o profissional com o qual você realizará o procedimento.

A Dra. Ana Lívia Bagatini, médica de Mogi Guaçu especializada em dermatologia, aponta que o mais seguro é fazer os procedimentos com médicos e não outros profissionais da área de saúde.  “Complicações podem ocorrer com qualquer profissional, mas o importante é saber reconhecer precocemente saber agir perante uma complicação. Na faculdade de medicina, estudamos muita anatomia, além dos inúmeros cursos que fazemos para evitar que essas complicações aconteçam”.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, cerca de 12 mil pessoas sem qualificação necessária oferecem serviços estéticos no Brasil. Na justiça, dentistas e biomédicos lutam pelo direito de realizar procedimentos estéticos não cirúrgicos. Já para o CFM (Conselho Federal de Medicina), esses tratamentos devem ser feitos apenas por quem estudou medicina. Para o Ministério da Saúde, cabe às entidades da classe das profissões estabelecer o limite de suas profissões.

Como encontrar o médico adequado?

Para escolher o melhor médico, porém, é importante primeiro checar se ele possui CRM, ou seja, número de registro no Conselho Regional de Medicina. Já na consulta veja se o médico te atenda num lugar adequado, explique sobre o procedimento e as possíveis complicações, mostre comprometimento, esteja atualizado e procure aprimorar técnicas é um bom indicativo que o procedimento será bem sucedido. A paciente deve sair da consulta com todas suas dúvidas esclarecidas.

Buscar o máximo de informações sobre seu médico também é importante: procure referências entre outros pacientes é essencial. Visitar a clínica antes de fechar o procedimento também é importante para se ter uma ideia de como é o trabalho do profissional. Uma outra tática é procurar o nome do médico no Google e redes sociais – existem sites que fornecem informações sobre processos judiciais e reclamações. Obtenha o máximo de informação para se sentir seguro.

“O maior problema das complicações acontecem e se tornam graves se não houver reconhecimento e intervenção precoce. Ou seja, é preciso reconhecer o quanto antes que está acontecendo uma complicação e tomar as medidas corretas para reverter o quadro”, reforça Dra. Ana Lívia.

Sobre a Dra. Ana Lívia Bagatini

Médica pós-graduada e especializada em dermatologia, a Dra. Ana Lívia Bagatini atende em sua clínica em Mogi Guaçu. Participou do mutirão da Cruz Vermelha de São Paulo em 2016, e participa de diversas palestras e cursos nacionais e internacionais. Ana Lívia tem como objetivo ajudar o paciente a recuperar a autoestima e confiança. A médica realiza procedimentos modernos de acordo com as tendências do mercado, como injetáveis com ácido hialurônico, skinbooster, bioestimuladores, entre outros.

Imagem: Divulgação – foto abertura ian dooley no Unsplash

Mais em: Dra. Ana Lívia Bagatini e VIRA Comunicação

Imagem: Divulgação – foto kevin laminto no Unsplash

Mais Acessadas

Início