Exposição

Mostra “AS DONAS DA BOLA” chega ao CEDOC da Fundação ROMI

Exposição fotográfica “As Donas da Bola” mostra aspectos interessantes dessa paixão, até então, figurada apenas no universo masculino.

O Centro de Documentação Histórica da Fundação, em parceria com a Illumina – Imagens e Memória, presenta a exposição As Donas da Bola. Com entrada franca, a mostra, aberta a partir de 20 de setembro, poderá ser vista até 21 de outubro de 2017, de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 17h.

A exposição fotográfica é fruto de um grupo de onze fotógrafas que percorreram o Brasil em busca de mulheres que jogam bola, por paixão ou diversão. O resultado deste trabalho são 20 imagens que retratam aspectos interessantes dessa paixão, até então, figurada apenas no universo masculino.

As donas da bola são Ana Araujo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Márcia Zoet, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto, fotógrafas gabaritadas que retrataram desde freiras que não tiram o hábito para jogar, comunidades de quilombolas, tribos indígenas e nas periferias brasileiras, a fé da devoção das torcedoras até as tão xingadas mães de juízes. Os cenários apresentados através de suas lentes retratam partidas de futebol lideradas por mulheres em Pernambuco, Macapá, Rio de Janeiro, Cuiabá, São Paulo e Paraty.

As Donas da Bola, que foi apresentada no Centro Cultural São Paulo em 2014, no Museu do Futebol em 2016 e, neste ano, circula em cidades do interior paulista, já figurou o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes em Piracicaba, no hall da Prefeitura Municipal de Paulínia e, agora, poderá ser vista no hall Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi.

Segundo o grupo de fotógrafas, “a circulação e a oportunidade de mostrar nosso trabalho ao público do interior do nosso estado, nos enche de alegria! Este trabalho teve início em 2014 a partir da reunião de 11 fotógrafas que se preocuparam em destacar como a mulher brasileira participa e vive intensamente o futebol, apesar de todas as dificuldades que se apresentam em seu caminho pelo simples fato de ser mulher”.

Cultura historicamente construída acerca desta prática esportiva, até pouco tempo de domínio exclusivamente masculino, As Donas da Bola traz de forma crítica, reflexões sobre o assunto como a proibição das mulheres em praticar algumas atividades esportivas, sobretudo, o futebol e perseguição às equipes que jogavam antes desse período, fatos estes que perduraram até 1983 quando a modalidade esportiva foi regulamentada para participação das mulheres.

Sobre a importância social desta mostra e a oportunidade de recebê-la na Fundação Romi, Sandra E. de Souza Barboza, Coordenadora do CEDOC da instituição, afirma que essa é uma grande chance da cidade de Santa Bárbara d’Oeste apreciar uma exposição que mostra a relação entre as mulheres e o futebol, um universo tradicionalmente ligado aos homens, em um momento em que o debate acerca da equidade de direitos e a emancipação da mulher se faz tão presente e necessário. “A ocupação dos espaços sociais pelas mulheres, ao longo de nossa história, e quem vem ganhando força, ainda que a passos lentos, é algo que a mim causa, particularmente, grande orgulho. E, ter a oportunidade de trazer algo desta natureza para um espaço como a Fundação Romi, que prima pela transformação social através da Educação e da Cultura é muito gratificante”.

No decorrer dos meses que percorreram o Brasil, as donas da bola descobriram informações importantes sobre “mulheres e futebol” e gostariam de compartilhar essas descobertas: “Vocês sabiam que Marta foi considerada a maior jogadora do Mundo por cinco vezes? Por que será que Messi (com mesmo número de conquistas) é considerado um verdadeiro deus e ela recebe vários xingamentos? Vocês sabiam que, apesar de termos essa mulher (Marta) que nos dá tanta satisfação e orgulho, as mulheres no Brasil não conseguem apoio para suas trajetórias no futebol? Vocês sabiam que as índias brasileiras, durante muito tempo, só olhavam o jogo de futebol dos homens e só recentemente passaram a jogar? Vocês sabiam que freiras (em hábito religioso) jogam futebol e adoram? Vocês sabiam que em Paradas de Taipa, subdistrito de Pirituba, São Paulo, meninas de 12 a 19 anos consideram jogar futebol uma função social importante? Vocês sabiam que há mulheres técnicas de futebol e que no Botafogo do Jaçanã – time tradicional e respeitado nos terrões da Zona Norte da cidade de São Paulo – a técnica é uma mulher que foi jogadora? Vocês sabiam que a ONG Futebol Social abre espaços para desenvolver habilidades tanto no esporte como na escola? Vocês sabiam que participar de uma torcida, vendo uma partida de futebol, é algo que nem dá para descrever de tanta emoção? Vocês sabiam que “Altinha” é uma espécie de frescobol do futebol? Vocês sabiam que há ótimas jogadoras de futebol com síndrome de Down? Vocês sabiam o que futelama surgiu entre as comunidades ribeirinhas no Amapá?”

Para saber essas e muitas outras coisas sobre mulheres e futebol, o grupo de fotógrafas e donas da bola convida a toda população de Santa Bárbara d´Oeste e região para prestigiarem esta mostra e participarem da “nossa admiração por mulheres que vão a luta, pois a verdadeira democracia só existe numa sociedade de pessoas emancipadas e, o lugar da mulher é onde ela quiser”.

Serviço – A mostra As Donas da Bola, realizada pela Illumina – Imagens e Memória fica em exposição no hall do Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi entre 20 de setembro e 21 de outubro. A entrada é franca e pode ser vista de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 17h. O CEDOC da Fundação Romi fica na Av. João Ometto, 118, Jardim Panambi, Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.

Sobre o CEDOC

O Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi é um espaço vivo de preservação da história, que além de resgatar todo o passado histórico de Santa Bárbara d’Oeste e região, atua na guarda, conservação e disponibilização do acervo da Fundação Romi e da Indústrias Romi – com destaque para o acervo do Romi-Isetta. Além de um espaço expositivo vivaz e dinâmico, o CEDOC realiza o projeto de Educação Patrimonial para crianças e adolescentes, realiza o Processamento Técnico de todos os documentos recebidos e ainda recebe exposições e palestras, promove visitas monitoradas e técnicas, oficinas de capacitação e experimentação. O CEDOC está localizada na Avenida João Ometto, 118, Jd. Panambi, em Santa Bárbara d´Oeste. (19) 3499-1558. www.fundacaoromi.org.br/cedoc.

Sobre a Fundação Romi

Criada em 1957, em Santa Bárbara d’Oeste, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi, a Fundação Romi tem como missão promover o desenvolvimento social e humano através da educação e cultura. Pioneira na promoção da comunidade regional e na realização de ações sociais, atende mais de 30 mil pessoas por ano através de seus dois grandes eixos: Educação e Cultura. Dentre suas ações está a manutenção do Núcleo de Educação Integrada, sua escola de Ensino Fundamental II, com atendimento integral de 300 adolescentes, e o Centro de Vivências do Desenvolvimento Infantil, sua escola de Educação Infantil, voltada, prioritariamente, para o atendimento de mais de 100 crianças em situação de vulnerabilidade social. Além disso, promove, através de seu Centro de Documentação Histórica, o projeto de Educação Patrimonial que atende mais de 8 mil crianças, da rede municipal do Ensino Fundamental I, para reconhecimento e conhecimento da história local como elemento de cultura e cidadania, e o Processamento Técnico da memória do município para guarda, preservação e disponibilização do acervo à população para consulta e pesquisa. Não bastasse isso, por meio de oficinas livres, culturais e de formação, a Estação Cultural atende mais de 10 mil pessoas por meio de projetos de fomento à economia criativa, de elevação do status cultural e de ações socioeducativas. Tendo como apoiadora a Indústrias Romi S.A., instituições governamentais e não governamentais e demais parceiros da iniciativa privada, a Fundação Romi objetiva, continuamente, atingir um maior número de beneficiários por meio de suas áreas de atuação, seus programas e projetos. Av. Monte Castelo, 1095, Jd. Primavera – Santa Bárbara d’Oeste, SP. (19) 3499-1555. www.fundacaoromi.org.br.

Mais em: Fundação ROMI

Mais Acessadas

Início