Cinema

Inovador projeto Cinesolar leva em uma van a magia do cinema a cidades de todo o País

O projeto utiliza energia limpa e renovável para exibições de filmes, unindo arte, cinema e sustentabilidade. Tudo funciona a partir de uma van equipada com placas solares que possibilitam, através de um sistema conversor de energia solar para elétrica, a exibição de filmes e apresentações artísticas. No interior do veículo, há 100 assentos para o público, telão com metragem de 200 polegadas, sistema de projeção e som e até um estúdio de gravação. Quando chegam às cidades tudo é retirado da van e o cinema é montado em lugares como praças públicas e quadras esportivas, principalmente em regiões “carentes”, como comunidades, aldeias indígenas e até mesmo cidades que não têm energia elétrica. Nos três diferentes circuitos, o Cinesolar irá este ano a cerca de 75 cidades dos estados do Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

O Cinesolar, inovadora iniciativa brasileira de cinema itinerante que exibe filmes a partir da energia solar, visita, desde 2013, cidades de “todo” o do País, Este ano, o projeto, que realizado pela Brazucah Produções, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio, em diferentes circuitos, da CPFL energia, da Votorantim Cimentos e da Sanofi Genzyme. Nos três diferentes circuitos, o Cinesolar irá este ano a cerca de 75 cidades dos estados do Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo
O projeto utiliza energia limpa e renovável para exibições de filmes, unindo arte, cinema e sustentabilidade. Tudo funciona a partir de uma van equipada com placas solares que possibilitam, através de um sistema conversor de energia solar para elétrica, a exibição de filmes e apresentações artísticas. No interior do veículo, há 100 assentos para o público, telão com metragem de 200 polegadas, sistema de projeção e som e até um estúdio de gravação. Quando chegam às cidades tudo é retirado da van e o cinema é montado em lugares como praças públicas e quadras esportivas, principalmente em regiões “carentes”, como comunidades, aldeias indígenas e até mesmo cidades que não têm energia elétrica. Quando lembramos de filmes, podemos dizer que o projeto tem um certo ar que remete a filmes como “Bye Bye, Brasil” e “Cinema Paradiso”.
Nas cidades acontecem sessões de cinema, que começam com exibições de curtas-metragens, com temáticas sustentáveis, voltadas para as crianças. Depois, é exibido o filme principal: longas, como “Cine Holliúdy”, dirigido por Halder Gomes, e “O Palhaço”, dirigido por Selton Mello. A entrada é sempre franca e aberta a todos.
Durante os eventos acontece também a Eco Estúdio Solar – exposição tecnológica sustentável, com apresentação da van Cinesolar e do projeto como um todo. Dentro da van, infográficos e monitores mostram como funciona o carro e são passadas informações sobre os princípios básicos da energia solar (por exemplo: como a energia solar se transforma em energia elétrica). Além disso, são mostrados produtos de sustentabilidade e tecnologias renováveis, com aplicações práticas no dia-a-dia, como um instigante relógio de batatas.
Na maioria dos municípios é realizada também no período da manhã ou da tarde, a Oficinema Solar (Oficina de Cinema), evento fechado, voltado para jovens estudantes. (E o filme produzido na oficina é exibido à noite, junto com o longa-metragem e curtas com temáticas sustentáveis!)
Desde o início das atividades, Cinesolar, em seus diversos circuitos, realizou cerca de 410 sessões e 120 oficinas em 226 cidades de “todo” o País, ultrapassando 69 mil espectadores. A economia de energia elétrica chega a 306.900 watts, equivalente a mais de cinco mil horas de uma televisão de 20 polegadas ligada ininterruptamente. Além de realizar sessões sustentáveis, as temáticas dos filmes trazem a sustentabilidade à tona.
O Cinesolar é a primeira iniciativa de cinema itinerante que funciona através de energia renovável, aliando a difusão cultural e meio ambiente. O projeto conta também com o apoio do Solar World Cinema; da fundação Holandesa Doen, promotora da sustentabilidade, cultura e inovação social; e, desde 2015, com a parceria da Ecooar. Todas as sessões do Cinesolar têm a compensação de carbono em uma área de reflorestamento no interior de São Paulo.
“O Brasil tem um incrível potencial em energias renováveis. E por que não se beneficiar no campo do entretenimento, das artes e da cultura? Nosso objetivo é, além de democratizar o acesso à produção audiovisual nacional, trabalhar com ações sustentáveis que multipliquem a conscientização ambiental e mostrem a força que a energia solar tem por aqui”, diz Cynthia Alario, idealizadora e coordenadora do projeto.
Os filmes exibidos sempre trabalham questões ligadas à sustentabilidade com foco em três eixos: social, econômico e ambiental. Além das sessões, em algumas etapas do circuito acontecem oficinas de cinema, além de música orgânica e ecografite para crianças e adolescentes. Essas atividades propõem a reciclagem de materiais para a confecção de instrumentos musicais e o preparo de pigmentos naturais, como argila e urucum, nas pinturas produzidas pelos participantes.

Sobre o Cinesolar e as oficinemas
. De acordo com Cynthia Alario, “as oficinas discutem os problemas de sustentabilidade das regiões e introduzem aspectos básicos da linguagem audiovisual a partir da ideia da produção de vídeo de bolso”. A coordenadora do Cinesolar diz que esse formato ‘de bolso’ utiliza ferramentas digitais, portáteis e fáceis de manusear para produção de vídeos diversos, aparelhos já comuns a esses jovens.
“O objetivo é sensibilizar e possibilitar a expressão desses jovens através da linguagem audiovisual, fazendo a utilização de elementos básicos desta linguagem como fotografia, enquadramento e roteiro. Esta produção tem como foco a produção voltada para internet, como videoblogs, e sites, como o Youtube e o MySpace. Produções já realizadas por estes jovens, que instintivamente atuam na produção e distribuição de conteúdo. Daí surge a ideia dessas oficinas, que trazem novas ferramentas para esses jovens que já são realizadores de vídeo neste formato ‘de bolso’, afirma Cynthia, que acrescenta: “as oficinas também trabalham a autoestima dos participantes que pela primeira vez podem contar sua história através da produção de um filme”. A gravação e a edição dos filmes realizados nas oficinais são feitos pela equipe do Cinesolar.

Sobre a Brazucah
A Brazucah é uma produtora cultural e uma agência de comunicação que tem como objetivo a formação de público para o cinema brasileiro.
Desde 2002 no mercado de cinema, a Brazucah já realizou ações de divulgação para mais de 120 filmes dos mais diferentes perfis, como “Gonzaga – de pai pra Filho”, de Breno Silveira; “Raul – o início, o fim e o meio”, de Walter Carvalho; “Xingu”, de Cao Hamburguer; e “Uma Noite em 67”, de Ricardo Calil.
Como produtora cultural, a Brazucah desenvolve projetos culturais com foco em cinema brasileiro e sua democratização em parceria com organizações, empresas e marcas. Seus projetos em conjunto já realizaram mais de 1500 eventos para um público superior a 200 mil espectadores. Além do Cinesolar, se destacam projetos como o CineB e o Cine Autorama – cinema estilo drive-in.

Veja mais imagens e saiba mais lendo a edição da Revista RMC do 1ºSemestre/2017.

Mais Acessadas

Início