Saúde

ACUPUNTURA E COVID-19

Por André Tsai | Acupunturista e ortopedista

Há mais de um ano cientistas identificaram um novo vírus responsável pela pandemia que vivemos.

Infelizmente, é uma doença nova, com alta taxa de transmissibilidade, e o pior, uma característica de se transformar em variantes ainda mais contagiosas e agressivas. Embora as vacinas tenham sido desenvolvidas em tempo recorde, precisaremos que elas acompanhem as mutações que este vírus apresentar.

Mas o que a Acupuntura poderia oferecer neste contexto em que até a Medicina Moderna tem tido grandes dificuldades? 

Pelo fato desta pandemia ter surgido na China, que também é considerada o berço da Acupuntura e de toda a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), médicos chineses têm realizado grandes esforços e pesquisas com o intuito de oferecer aos pacientes um tratamento aliando às duas medicinas. Hoje, tanto na China quanto em Taiwan, temos centros especializados em Covid-19 utilizando Fitoterapia Chinesa e Acupuntura para complementar o tratamento convencional já estabelecido pela ciência atual.

É claro que a ideia não é substituir nenhum protocolo já consagrado, mas agregar a MTC, especialmente em dois momentos: antes de contrair a doença (preventivo) e após, na fase de convalescência ou no tratamento de eventuais sequelas.

A China já passou por outras epidemias há muitos anos e o conceito básico da MTC, no que diz respeito à profilaxia dessas doenças, é basicamente melhorar o nosso sistema imunológico, principalmente por meio de uma boa dieta, atividade física e um sono reparador. Além disso, há trabalhos que evidenciam que a Acupuntura melhora a imunidade dos indivíduos, após uma sequência de tratamento com agulha ou moxabustão, mas isso não substitui os três itens anteriores.

Infelizmente, para aqueles que contraíram esta doença, muitos permanecem com alguns sintomas mesmo após meses do início do quadro. Cansaço, perda do paladar, perda do olfato, falta de ar e dores pelo corpo são alguns dos mais frequentemente relatados. Ainda é cedo para afirmar resultados relevantes, mas a Acupuntura tem surgido como tratamento complementar para a recuperação desses pacientes. Nesta situação, as sessões podem ser realizadas de forma semanal, associado à fisioterapia e outras formas de reabilitação.

Enquanto a ciência não descobre uma medicação específica contra esse vírus, é muito importante que nos atentemos com o nosso estilo de vida, procurando uma dieta mais saudável e evitando o sedentarismo. Isso é uma mudança de comportamento que também inclui o hábito de usarmos máscaras, lavarmos frequentemente as mãos e evitarmos ambientes com muitas pessoas ou que sejam pouco ventilados.

Além disso, a Acupuntura pode ajudar a diminuir o nosso grau de ansiedade e preocupação que estão altos nesse momento, visando um equilíbrio entre o corpo físico e nossas emoções.

Imagens: Divulgação

Mais em: Portal Saúde Minuto

Imagem: Divulgação – Moxabustão.

 

Mais Acessadas

Início