Artista

20 anos de carreira, personagens marcantes e futuro: Daniel Satti fala sobre trajetória artística e próximos projetos

Quem nunca rodopiou pela sala de casa fingindo ser o personagem principal do filme preferido quando era criança? Para alguns de nós, isso é só brincadeira. Para Daniel Satti, já era um presságio de tudo o que ele conquistaria no futuro. Nessa matéria, o ator abriu as portas de sua intimidade para contar sobre sua carreira, o período de pandemia e seus próximos projetos.

Como tudo começou

Filho de dois mineiros, o menino nascido em São Paulo sempre teve um artista dentro de si. Seus passatempos na infância sempre remetiam à área artística e envolviam a família toda, que se tornava o “elenco” de suas produções. Com uma filmadora VHS que ganhou de um tio, Daniel roteirizava, gravava e editava seus próprios comerciais.

“Eu assistia novelas da época, e depois tentava reprisar os episódios exatamente como iam ao ar, em casa, com figurino, elementos das cenas e tudo que eu pudesse conseguir pra compor e realizar”, conta o ator.

“Jerônimo”, novela exibida pelo SBT, e o Programa da Xuxa, na TV Globo, estão entre as várias produções que influenciaram o pequeno Daniel Satti a querer se tornar um artista quando crescesse. Ele se diverte ao lembrar da sua primeira “aparição” na televisão: “Eu enchi o saco da minha mãe para me levar em um programa de tv famoso na época, em Belo Horizonte, onde cresci: o Clubinho da Tia Dulce, exibido pela TV Alterosa, repetidora do SBT. Eu fiz o figurino, criei a coreografia e coloquei meus irmãos e primos para ensaiar e fomos, de fato, nos apresentar. Foi hilário!”

Mesmo com tantas referências, Daniel não soube de cara que sua verdadeira vocação era seguir a carreira de ator. Assim como seu pai e um de seus irmãos, antes de seguir carreira artística, ele cursou engenharia. Mas, no quarto ano de curso, decidiu mudar toda a trajetória de sua vida e seguir o sonho de ser ator. Decisão essa que levou Daniel, entre outros grandes personagens e projetos, a se tornar o vilão Donato, em “Salve-se Quem Puder”, novela da Rede Globo.

“Eu sempre tive um artista guardado dentro de mim que gritava internamente querendo sair e se realizar. Tanto que mesmo tomando outros caminhos antes das artes dramáticas, acabou voltando a mim a arte de atuar. Quando é para ser, é e acabou”, recorda Daniel.

Salve-se quem puder

Em 2020, Daniel Satti foi o responsável por dar vida ao bem arrumado e sorrateiro Donato, capanga da personagem Dominique, vivida por Guilhermina Guinle. O ator conta que se inspirou nos chamados “anti-heróis” para compor as características do personagem. Para ele, as cenas de ação foram o ponto alto da experiência: “Fiquei fascinado por poder fazer as várias cenas de ação e perseguição que se tornaram o ápice do capítulo e do início dessa trama. Foi pura diversão!”

Além disso, Satti também guarda com carinho a experiência de troca com grandes nomes da dramaturgia brasileira, nesse e em outros projetos: “É sempre maravilhoso ter a oportunidade de trabalhar com pessoas e atores que admiramos. Se tornam referência e o encontro com os mesmos realizando o próprio sonho, não tem preço.”

A pandemia

Em março de 2020 todos nós tivemos que readaptar nossa realidade ao cenário pandêmico que assolou o Brasil e o mundo. Com Daniel Satti, não foi diferente. Um dos projetos desenvolvidos pelo ator durante o isolamento foi, inclusive, sobre esse momento histórico que vivemos. O ator foi convidado pelos diretores Sirley Franco e Fred Chalub para dar o seu depoimento, de experiência pessoal, em um documentário com mais de 170 depoimentos.

O projeto foi desenvolvido em todos os estados brasileiros e mais de 26 países, trazendo como cada um está lidando com os protocolos estabelecidos para prevenção da pandemia de Covid-19 e como está sendo a vida com as adaptações necessárias em função da doença.

“Foi uma experiência muito incrível. Primeiro porque, após os acontecimentos dessa pandemia, não imaginei que conseguisse trabalhar enquanto tudo não passasse e, segundo, pela primeira vez eu estava participando de um projeto onde faria tudo da minha própria casa. Entendo que será uma ótima referência histórica para nossa sociedade atual e futura”, conta Satti

O pai da Carmem

Entre os personagens mais marcantes da carreira de Daniel Satti está Frederico Carrilho, do remake da única versão brasileira da novela Carrossel, exibida e já reprisada algumas vezes pelo SBT, que agora entrou para o catálogo da Netflix. Ou, como grande parte do público conhece o personagem: o pai da Carmem.

Daniel conta como foi gratificante ver o retorno da novela, por meio da Netflix, mais de 10 anos após sua primeira exibição. O ator se diverte ao recordar que, até hoje, é reconhecido nas ruas e nas redes sociais como o “pai da Carmem”.

“Depois de quase 10 anos, se torna ainda mais especial. Afinal, estamos atingindo, literalmente, outra geração de crianças e adultos e transmitindo todas as mensagens de amor, solidariedade, aprendizados e outros vários valores fundamentais que essa obra tem como legado. Me sinto cumprindo uma importante missão. A estória da família do Frederico, além de muito linda, tinha uma identificação enorme com o povo brasileiro. Era uma família humilde, com um pai, que sonhava poder dar conforto para a sua família, mas não conseguia o trabalho que pudesse permitir a renda necessária para que ele conseguisse sustentá-los.”

Outros personagens marcantes

Além de Donato e Frederico Carrilho, Satti ainda tem outros personagens de grande sucesso marcados em seu currículo. Um deles foi o oficial egípcio Panahasi, da novela da Rede Record “Os Dez Mandamentos”. O personagem marca a virada da trama, ao ser morto por Moisés. Para o ator, viver Panahasi foi um desafio à parte: “Foi surreal. A tenacidade, o deboche e a violência que as cenas exigiam desse personagem, me fez mergulhar em um mundo que eu precisava trazer uma atmosfera de raiva, preconceito e superioridade para falar um longo texto que, na boca do Panahasi, exprimia o tom de dominação e poder de exploração e escravidão.”

Outro personagem que marcou a trajetória do ator foi Sandro, do curta-metragem Entreolhares.

“Tenho muito carinho por este personagem também protagonista, humano, de trajetória amorosa, que vai do erro e sofrimento à redenção; da sensibilidade, cuidado e dedicação à culpa. Um personagem, cuja construção, acho que posso chamá-lo de o homem do amor”, conta o ator.

A atuação em Entreolhares rendeu a Daniel Satti prêmios nacionais e internacionais, como: Melhor Ator, no The Scene Festival USA-Jun/20, Flight Deck Film Festival de Nova York-Set/20 e no 5° Festival de Cinema Bento Gonçalves, além da indicação no Lonely Wolf: London International Film Festival-Jul/20, também na mesma categoria.

#MeDeixaViver

Além de seu trabalho mais que reconhecido na teledramaturgia, Daniel Satti agora decidiu se aventurar também na web, por meio do seu novo canal no YouTube: DanielSattiOficial. Por lá, o ator aborda assuntos relacionados às suas experiências de vida que sugerem reflexões, pensamentos, espiritualidade, trocas e doações, com o intuito de ajudar quem está disposto a escutar e buscar respostas em si mesmo para seguir a vida fazendo tudo o que mais ama.

“Para reforçar essa comunicação, criei e utilizo a hashtag #MeDeixaViver, que vem de uma expressão que uso na vida, há muitos anos e dou o significado de ‘me deixa ser eu, pleno, com todas as minhas características e desejos’ e que aconselho, por meio do canal, a cada um fazer o mesmo”, explicou Satti.

Próximos projetos

Para os próximos meses, o público pode esperar mais de Daniel Satti em dois projetos. O primeiro deles é a comédia “Amor, Confuso Amor”, que tem expectativa de lançamento ainda para esse ano. No longa, Daniel interpreta Jorge, um empresário bem-sucedido que se vê perdido em um triângulo amoroso. A trama traz uma narrativa não linear e retrata a história de um homem confuso que vaga entre a sua imaginação e a realidade e tem como pano de fundo, a comédia e um drama psicológico com tons surrealistas de seu relacionamento amoroso e pessoas com quem convive.

Além disso, Daniel Satti também fará parte do elenco de “O Faixa Preta – A Verdadeira História de Fernando Tererê”, como Alexandre Paiva, mestre do lutador de jiu-jitsu que se consagrou pentacampeão mundial. A trama, baseada em fatos reais, promete trazer muita emoção ao público.

“Acho que esse filme vai mexer com o público e meu personagem tem uma grande e importante missão nessa linda história de superação. Está aí uma experiência que acho incrível e surreal: dar vida no audiovisual a alguém que ainda está vivo na vida real.”

Planos para o futuro

Agora que o menino que brincava de criar histórias na infância descobriu sua vocação, o público pode esperar mais e mais emoções através de seus personagens. Daniel Satti já está envolvido em novos projetos de teatro, TV e cinema. Além de estar iniciando um projeto para escrever um livro. Nos próximos anos, vocês vão ouvir muito falar nesse nome!

Acompanhe o ator em suas redes sociais (@danielsatti) para saber mais sobre seus novos projetos.

Imagens: Divulgação – Fotos Bruno Matteo

Mais em: Daniel Satti

Mais Acessadas

Início