Música

SINFÔNICA DE CAMPINAS e EPTV REALIZAM MUSICAL ESPECIAL DE FIM DE ANO EM CAMPINAS

Prefeitura Municipal de Campinas , a Orquestra Sinfônica e a SANASA  em parceria com a EPTV Campinas apresentam o “Especial Musical Fim de Ano”, que   acontece no dia 13 de outubro, às 18h, na Praça Arautos da Paz, no Taquaral.

Com um rico repertório musical, sob regência do maestro Victor Hugo Toro que recebe os cantores Mato Grosso e Mathias, Maria Cecília e Rodolfo, Sérgio Reis e Falamansa que cantarão com a Sinfônica neste evento especial.

Os arranjos das músicas foram elaborados especialmente para este concerto  comemorativo.

O musical, que acontece pelo segundo ano consecutivo, será uma gravação de fim de ano da EPTV, com exibição prevista para dezembro na grade da emissora. Mato Grosso e Mathias, Maria Cecília e Rodolfo, Sérgio Reis e Falamansa são os convidados que farão parte dessa grande festa.

A novidade  é a participação da Orquestra Sinfônica de Campinas no evento que é também  a comemoração  aos 90 anos da Orquestra Sinfônica de Campinas e os  40 anos da EPTV.

No repertório teremos:

Matogrosso e Matias, “Tentei te esquecer”, “24 horas de amor”, “Na hora do Adeus” e “Mariposa – Fm”, Maria Cecilia e Rodolfo,  “Você de volta”, “Coisas esotéricas”, “Os dias vão” e “Dói só de Pensar”, Sérgio Reis, “Filho Adotivo”, “Menino da Porteira” e “Tocando em frente”, Falamansa, “Xote dos Milagres”, “Xote da Alegria” e “Rindo à toa” e para encerrar a música final  com todos os artistas “Amor pra recomeçar”.

Victor Hugo Toro (regente)

Nascido em Santiago do Chile, realizou estudos de regência orquestral e graduou-se pela Faculdade de Artes da Universidade do Chile.

Foi vencedor do II Concurso Internacional de Regência Orquestral – Prêmio OSESP. Tem sido convidado a reger as mais importantes orquestras de seu país, além da OSESP, onde foi regente assistente e apresentou importantes peças do repertório universal.

Junto ao seu importante trabalho com orquestras jovens de seu país, Victor Hugo Toro é também compositor. Suas obras têm sido interpretadas por diversos grupos sinfônicos e de câmara.

Recentemente, foi laureado pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino com a Ordem do Mérito Cultural “Carlos Gomes” no grau de comendador. Também recebeu da Câmara Municipal de Campinas a medalha “Carlos Gomes”, pelos relevantes serviços prestados à cidade. Atualmente, é diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Matogrosso e Mathias

Matogrosso & Mathias são uma dupla sertaneja do Brasil  originária da década de 1970. A dupla sertaneja Matogrosso & Mathias iniciou sua trajetória originalmente com João Batista Bernardo, o Matogrosso , o apelido se deve porque o mesmo viveu em Cárceres – Mato Grosso por muitos anos e Anísio Roberto de Carvalho, o Mathias . Com o tempo Isaac Júnior, sobrinho de Matogrosso compôs a dupla no lugar de Anísio, como Mathias e atualmente quem entrou no lugar de Isaac é o músico Rafael Belchior, afilhado de Anísio.

Matogrosso & Mathias tem a alcunha de “a dupla mais romântica do Brasil”. A dupla é reconhecida por difundir a música sertaneja  em uma época que os “caipiras” ainda estavam à margem da imprensa no Brasil, abrindo caminho para vários artistas do mesmo gênero de muito sucesso hoje.

A dupla gravou ao longo da carreira 17 discos pela gravadora Continental.

O início nos Anos 70 e 80,  dirigindo-se a São Paulo  para trabalhar e gostando muito de música, começaram a freqüentar locais onde se reuniam pessoas para cantar e tocar. A dupla se conheceu no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo, no início dos anos 1970, e começaram a ensaiar músicas da dupla Belmonte e Amaraí. Passaram a se apresentar em churrascarias e casas noturnas.No ano de 1976, gravaram seu primeiro disco pela gravadora Continental/Chantecler intitulado Popularidade, no qual destacava-se a composição “O Matuto”.

O recomeço em 1990 fizeram sucesso com a música “Ponto de Chegada”, de Joel Marques e Maracaí, e “Na Hora do Adeus”, de Chico Roque e Carlos Colla. Até essa ocasião, haviam gravado 13 LPs pela Continental com 2 milhões de discos vendidos. Em 1991, após emplacarem a música “Sorte Tem Quem Acredita Nela” na trilha sonora da novela Ana Raio e Zé Trovão. Nessa época a dupla separou-se com Mathias cantando durante um ano com Milionário, da dupla Milionário e Zé Rico, com quem gravou um CD em 1992. Matogrosso por sua vez, seguiu carreira solo e gravou dois discos pela EMI, em 1992 e 1993.Voltam a se reunir novamente em 1994, quando gravaram novo LP, com composições de Elias Muniz, Zezé di Camargo, Mário Maranhão, Tivas, Carlos Randall, Carreirito, Joel Marques e Cesar Augusto. Fizeram também, uma homenagem ao violeiro Tião Carreiro, com a música “Cabelo Loiro”, de sua autoria.

Em 1996, tornaram a separar-se, com Mathias afastando-se da vida artística, indo morar em Bauru, no interior de São Paulo. Matogrosso por sua vez, novamente seguiu carreira solo e gravou o terceiro disco pela EMI, em 1997. O retorno da dupla ocorreu em 1998, sem que os dois planejassem tal volta. O prefeito da cidade mineira de Rio Novo queria um show da dupla de qualquer maneira e eles não se opuseram à idéia. Os anúncios e faixas da apresentação atraíram a atenção da Prefeitura de Andrelândia, na mesma região. Como era época de campanha política, foram contratados por um candidato para realizar 30 apresentações.Em 1999, gravaram novo CD, com repertório variado, incluindo dois pagodes sertanejos, ao estilo de Tião Carreiro, composições de Elias Muniz e de Fernando Mendes, além de um pagode-romântico, intitulado “Te quero mais”. Destaque também para a canção “Pele de Maçã”, de Cecílio Nena e Lalo Prado.

Maria Cecília e Rodolfo

Eles formam o único casal do sertanejo. De Campo Grande (MS),  tornaram-se grandes estrelas da música e conheceram o gosto do sucesso ainda muito novos e com pouco tempo de carreira. O novo balanço e as letras diretas e atuais tornaram Maria Cecília e Rodolfo um dos precursores do movimento chamado ‘sertanejo universitário’ – que definitivamente transformou o mercado. Foram hits atrás de hits e uma legião de fãs por todo o Brasil.

Ainda estudantes de zootecnia, se conheceram na faculdade e foi durante os intervalos (e de forma despretensiosa, claro!) que deram início a formação profissional. Bastou um violão e alguns clássicos do sertanejo para chamarem a atenção dos colegas. De churrascos a festas, Maria Cecília e Rodolfo viram tudo se transformar em uma fração de segundo. O primeiro registro aconteceu em Campo Grande e, no set list, ‘Você de Volta’, o primeiro sucesso. Ainda neste álbum, as consagradas ‘A Fila Andou’, ‘Mato e Morro Por Você’ e ‘Coisas Esotéricas’.

Na sequência, em 2009, o primeiro DVD, ‘Ao Vivo em Goiânia’ e a explosão musical em todo o país. As pessoas pareciam não entender o movimento que, até então, tinha nascido em Campo Grande e, agora, conquistado o país. Até formato era diferente, já que Maria Cecília e Rodolfo eram o único duo do sertanejo que, naquela época, era dominado apenas pelos homens.

‘Você de Volta’ também se transformou em tema de novela, entrando no repertório da global ‘Paraíso’. O álbum ‘Ao Vivo em Goiânia’ rendeu o primeiro disco de ouro.

Em 2010, Maria e Rodolfo gravaram o segundo DVD da carreira, desta vez em São Paulo e mais músicas alcançaram o sucesso: ‘Os Dias Vão’, ‘Três Palavras’, ‘Tchau Tchau’ e ‘O Troco’. Também foi neste ano que receberam um dos convites mais importantes: participar do DVD Nova Geração, de Chitãozinho e Xororó, ídolos de ambos.

A relação profissional se transformou em amor. Em 2012, Maria Cecília e Rodolfo  casaram-se em Campo Grande (MS).

O DVD ‘Com Você’ foi um marco na vida dos cantores, mas também da cidade de Campo Grande. Registrado em 2012, no Parque das Nações Indígenas, bateu todos os recordes possíveis de público com a presença de 120 mil pessoas. Muitas participações especiais e um cenário grandioso  misturaram-se ao carisma e talento inegáveis de Maria Cecília e Rodolfo. Mais um tiro certeiro e ascensão profissional.

Convictos da missão que possuem com a música e da responsabilidade com o que interpretam e levam aos fãs, decidiram apostar no CD ‘Espalhe Amor’ – nome também da música de trabalho e que se tornou tema da vida de muitas pessoas.

O CD e DVD ‘Em Fases’, de 2016, apresentou o momento mais maduro dos cantores. No repertório, ‘Pedacinho de Nós Dois’, ‘Apenas Me Ama’, ‘Dói Só De Pensar’ e ‘Depois da Briga’ – que alcançou nada mais, nada menos que mais de 40 milhões de views orgânicos no canal oficial do YouTube.

2017 também foi marcado pelo nascimento do primeiro e único filho do casal, Pedro, que veio ao mundo em Campo Grande e, assim como os papais, é sul-mato-grossense.

‘À Vontade’ foi o primeiro ensaio da carreira de Maria Cecília e Rodolfo. Descalços e totalmente entregues, gravaram sete faixas inéditas, dentre elas, ‘Namoro Démodè’ e ‘Medo de Te Perder’, dois grandes sucessos.

Em fevereiro de 2019 eles literalmente abriram as portas da casa onde moram para mais um registro. ‘De Portas Abertas’ contou com muitas participações especiais e trouxe alguns presentes, como ‘Quase Amor’- lançada com destaque nas principais playlists do Spotify.

Entre números e marcas que impressionam, contabilizam milhares de cópias vendidas, discos de platina, discos de ouro e dezenas de músicas que se transformaram em hit. Juntos, Maria Cecília e Rodolfo possuem uma das histórias mais bonitas da música brasileira e mostram, a cada dia, que a verdade presente na trajetória foi o grande diferencial, o que os tornou únicos e especiais.

SÉRGIO REIS

Com 16 anos passou a cantar em programas de rádio e casas noturnas, interpretando músicas do repertório de Lucho Gatica, Trio Los Panchos, Cauby Peixoto, Pepino di Capri e Sérgio Endrigo.

Na década de 1960 fez parte do movimento da Jovem Guarda em um programa televisivo da TV Record, a Jovem Guarda inovou a linguagem musical e comportamental no Brasil. A maioria de suas letras reuniam temáticas amorosas, adolescentes e açucaradas das quais, versões de hits do rock britânico e norteamericanos da época.

Lançou músicas de sucesso como Coração de Papel, de sua autoria, em um álbum de mesmo nome.

No decorrer de um baile de debutantes em Tupiciguara, no Triângulo Mineiro, que Sérgio Reis percebeu que a carreira dele carecia de mudanças. Contudo, sua tendência caipira e sertaneja raiz se evidenciaria a partir da década de 1970 quando em 1972 gravou seu primeiro disco de música sertaneja com Menino da Gaita. Seu segundo disco O melhor de Sérgio Reis em 1981, vendeu um milhão de cópias.

Em 2002, Sérgio Reis homenageou Roberto Carlos – CD Nossas canções, interpretou músicas gravadas por ele e Roberto Carlos de autoria deste em parceria com Erasmo Carlos e de outros compositores. Primeiro DVD Sérgio Reis e Filhos – Violas e Violeiros, com seus filhos como músicos na apresentação.

Em 2010, para comemorar os mais de 40 anos de parceria, Sérgio Reis e Renato Teixeira lançaram CD e DVD Ao Vivo Amizade Sincera que reuniu clássicos da música sertaneja.

Em 20 de novembro de 2014, Sérgio Reis recebeu o Grammy Latino de melhor álbum de música sertaneja com o álbum: Questão de Tempo.

Em 2015, recebeu o Grammy Latino de melhor álbum de música sertaneja pelo CD e DVD Amizade Sincera II, parceria com Renato Teixeira.

Como ator, atuou em algumas telenovelas, como Pantanal na extinta TV Manchete, e O Rei do Gado, na Rede Globo, o personagem de Sérgio fazia uma dupla sertaneja com o personagem de Almir Sater, e a dupla era denominada “Pirilampo & Saracura”. Seu último trabalho atuando foi na telenovela  Bicho do Mato, na Rede Record.

Falamansa

Tamanha ousadia ideológica, que para muitos seria um convite ao fracasso, nas entrelinhas da Falamansa se apresenta como a fórmula do seu sucesso, fazendo de sua sonoridade algo único e mantendo sua identidade intacta e inabalável.

São mais de 4 milhões de discos vendidos, 11 álbuns, 3 DVDs e 1 Grammy latino na bagagem, além de muitas outras premiações ao longo da carreira.

Tudo isso sem nenhum desvio de rota na sua proposta rítmica inicial, mantendo viva e presente a cultura brasileira do forró em seus trabalhos e sem nenhuma necessidade de apelação nas suas letras, fincando a cada obra, mensagens de alegria, fé, motivação, amor, superação, amizade, consciência social e ambiental, como estandartes de cada projeto.

E é com essa mesma linha de pensamento que a banda lança esse ano o CD e DVD “Falamansa 20 anos”, recheado de grandes sucessos que pontuaram a carreira da banda desde 1998.

Além das canções que não podem faltar no repertório, como “Xote dos milagres”(Tato), “Rindo a toa”(Tato), “Xote da alegria”(Tato), “Asas”(Tato) , “Confidências”(Petrucio Amorim/Acioly Neto), “Amigo velho”(Tato/Zeider Pires), “Medo de escuro”(Tato), “Lá da Alma”(Tato), “Chuva”(Luis Carlinhos), “Falamansa song”(Tato), “Avisa”(Tato), “Solução”(Tato) e “Cem anos”(Tato), todas elas repaginadas, o DVD conta ainda com 3 faixas inéditas: ”Jóia rara”(Tato) , “O dinheiro não compra o amor”(Tato/Douglas Capalbo/Valdir do acordeon) e “Par”(Tato) e mais 12 regravações de clássicos do forró: “Seja como flor” de Dominguinhos e Gonzaguinha , com participação do talentoso sanfoneiro Mestrinho e “Lamento sertanejo”(Gilberto Gil/Dominguinhos), com participação de Dió Araújo(Trio Xamego), Enok Virgulino(Trio Virgulino) e Luís Mario(Trio
Nordestino), ícones do movimento universitário.

Ainda na linha das releituras, “Isso aqui tá bom demais”(Dominguinhos/ Nando Cordel), “Banho de cheiro”(Carlos Fernando) , “Festa no interior”(Moraes Moreira) e “Morena tropicana”(Alceu Valença) dão um tom “frevado” para o disco, enquanto que as homenagens a Luiz Gonzaga fcam por conta de “A Vida de Viajante”( Luiz Gonzaga e Herve Cordovil), “Asa Branca”( Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) e “Pagode Russo”( Luiz Gonzaga e João Silva). Finalizando o ambiente das releituras e participações, “Esperando na janela”(Manuca Almeida/Raimundinho/Gilberto Gil/ Targino Gondim), ”Nosso Xote”(Janayna Pereira) e “Colo de menina”(Jorge Filho) formam um pout-pourri com direito a participações DVD Falamansa 20 anos dos compositores das músicas, Targino Gondin, Janayna Pereira e Jorge Filho, homenageando desta vez o movimento intitulado “forró universitário”, que ganhou a mídia no fnal da década de noventa. Coroando com refnamento esse novo trabalho, a grande diferença para os CD’s e DVD’s anteriores é a presença de um quarteto de cordas em várias faixas, o que soa como um amadurecimento musical da Falamansa e dá o tom comemorativo ao projeto.

A gravação ocorreu em julho de 2017, em Itaúnas-ES, berço desse movimento do forró da nova geração e contou ainda com a participação de alunos das escolas de balé e capoeira da vila de Itaúnas. Sem dúvida nenhuma, o CD e DVD “Falamansa 20 anos” vem para reforçar a importância da banda no cenário musical brasileiro e principalmente para provar de uma vez por todas ao atual mercado fonográfico monocultural e de letras descartáveis que, o que é bom fica!
Para sempre!!

SERVIÇO

Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC)

Dia: 13 de outubro

Horário: 18:00h

Local: Arautos da Paz – Parque Taquaral.

Entrada  GRATUITA

Doação não obrigatória de 1 Kg de alimento não perecível para o Banco de Alimentos  Campinas

Imagens: Divulgação

Mais em: OSMC

Mais Acessadas

Início