Televisão

Programação cultural da TV Brasil será acessada em alta definição

De natureza informativa, cultural, artística, científica e formadora da cidadania, a programação da TV Brasil – televisão pública nacional – poderá ser mais acessada pela população brasileira e com uma qualidade superior. A partir de uma assinatura de contrato entre a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) – gestora da emissora – e a Claro S.A. (sucessora da NET), a TV Brasil passará a ser localizada e sintonizada próxima a outros canais de grande audiência, o que aumentará sua presença junto ao público que recebe imagens em alta definição. A perspectiva é que o acordo possibilite um acréscimo de 10 milhões de telespectadores à emissora. O contrato foi firmado na manhã desta quinta (16), na sede do Ministério da Cultura (MinC), em Brasília.

O evento contou com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão; do diretor-presidente da EBC, Laerte Rímoli; da diretora-geral da EBC, Christiane Samarco; do diretor de Programação da NET, Fernando Magalhães; e do secretário Especial de Comunicação Social da Presidência da República, Márcio Freitas, além de diretores e gestores da Empresa Brasil de Comunicação.

As autoridades presentes adiantaram que a previsão é que grande parte do público assinante da Claro/NET tenha acesso aos benefícios do acordo a partir de dezembro, quando o canal de recepção em HD (high definition) para a TV Brasil será disponibilizado para diversas cidades brasileiras, sem cobrança extra de valores. De acordo com a Agência Nacional do Cinema (Ancine), vinculada ao MinC, o mercado de TV por assinatura encerrou o ano de 2015 com uma base de 19,11 milhões de assinantes.

Segundo o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, o acordo representa um ponto fundamental no processo de crescimento e de expansão da TV Brasil, que “realiza um trabalho de fundamental importância em comunicação pública, com um jornalismo independente e equilibrado”. O ministro ainda destacou a excelência da grade de programação da emissora, evidenciando a oferta de programas e animações infantis de qualidade. “A TV Brasil oferece ao espectador muitas horas de animação infantil, com produtos de altíssima qualidade. Isso tem um impacto no sentido de desenvolver a indústria brasileira de produção de conteúdo de animação, que vive um ótimo momento e tem crescido muito – graças, entre outros fatores, a espaços de exibição como esses”, destacou.

Sá Leitão também destacou o papel do Estado na articulação de interesses benéficos à população. “Fiquei muito feliz de ter contribuído para essa aproximação. É um dos papéis que um Ministério da Cultura deve ter, o de fazer pontes e criar um ambiente de diálogo que seja o mais proveitoso e produtivo possível”, afirmou o ministro. A televisão é o veículo de comunicação mais presente na vida do povo brasileiro, presente em mais de 97% dos 67 milhões de lares do Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) de 2015.

O presidente da EBC, Laerte Rímoli, agradeceu a articulação promovida pelo MinC, ressaltando a importância do acordo firmado. “A EBC já se encontrava tecnicamente preparada, com processos prontos. Mas a articulação política avançou com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Hoje, estamos assinando um documento que é uma batalha de mais de dez anos”, afirmou. De acordo com Rímoli, o acordo ainda vai dirimir uma ideia de que serviços públicos são de qualidade inferior. “A partir desse momento, a TV Brasil se encontra no mesmo padrão e patamar das TVs comerciais. E essa é uma reivindicação da população brasileira. É um dia para se comemorar porque a TV Brasil finalmente entra no HD”. A transmissão de conteúdos da TV Brasil já é feita em alta definição – a diferença é que o canal de recepção em HD melhora a qualidade para o telespectador.

O diretor de Programação da NET, Fernando Magalhães, afirmou que o acordo não apenas promove o acesso ao conteúdo da TV pública em alta definição, como melhora o posicionamento do canal para os telespectadores. “Muitos assinantes começam a procurar por canais já a partir do bloco em HD. Isso significa que, a partir de agora, haverá ganho significativo de visibilidade para a TV Brasil”, afirmou. Segundo Magalhães, o acordo representa uma via de mão dupla, em que todos saem ganhando. “Sempre tentamos melhorar a qualidade de conteúdo para os nossos assinantes e, agora, fazemos isso a partir da assinatura com a TV Brasil”.

Sobre a TV Brasil

Criada em dezembro de 2007, a TV Brasil é gerida pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Presente em todo o território nacional, telespectadores recebem sua programação por canais abertos, TVs por assinatura e parabólicas. Ao se considerar as transmissões analógicas e digitais, a TV Brasil alcança hoje um público de 111 milhões de pessoas em 1.868 municípios brasileiros.

A TV Brasil veicula programas de interesse social em sua programação rotineira, tais como campanhas de vacinação, de utilidade pública, de desenvolvimento sustentável e avisos em benefício de comunidades. Além disso, integra a grade de programação da televisão programas destinados a neutralizar preconceitos contra minorias de variados matizes, como Estação Plural (conteúdo LGTB), Programa Especial (temática que abrange pessoas com necessidades especiais) e Jornal Visual (feito em libras, para a comunidade de surdos).

Imagem: Da esquerda para a direita, Laerte Rímoli, Márcio Freitas, Christiane Samarco, ministro Sérgio Sá Leitão e Fernando Magalhães (Foto: Acácio Pinheiro/Ascom MinC).

Mais em: MinC

Mais Acessadas

Início