Lazer

BARÃO GERALDO: Borboletário da Mata Santa Genebra é uma opção para as férias

Uma boa opção para a criançada neste fim de férias é um passeio pelo Borboletário da Mata de Santa Genebra. As visitas podem ser feitas de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h e não é preciso agendamento ou inscrição prévia.

Na Mata de Santa Genebra já foram identificadas mais de 700 espécies de borboletas, dessas, a Fundação José Pedro de Oliveira tem autorização para criar em cativeiro, ou seja, no Borboletário, 42 tipos do inseto.

Quem visita o Borboletário, além de ver os pequenos e coloridos insetos em seu ambiente natural, com cores e tamanhos diferentes, têm uma aula sobre o ciclo de vida e curiosidades sobre as borboletas. Para os mais sortudos, o contato é maior: algumas borboletas pousam no corpo dos participantes, fazendo a alegria de crianças e adultos. Já que, diz a lenda, isso dá sorte.

“As borboletas possuem um papel fundamental no ecossistema, pois são alimento de uma grande variedade de animais, desde outros insetos até mamíferos e aves. Elas também funcionam como indicadores biológicos, pois são muito sensíveis às alterações ambientais. Se aumentam muito ou diminuem muito é sinal de que algo não está bem, como temperaturas fora do normal, umidade baixa, muito ou pouca quantidade de chuvas e poluição”, explicou o biólogo Thomaz Barrella.

Barrella lembra, ainda, que há algumas lendas sobre as borboletas, como a que o pó de suas asas causa cegueira. “Isso não procede. O pó das asas das borboletas são apenas pequenas escamas que recobrem a asa do animal, e que, como qualquer outra poeira, pode até irritar os olhos, mas não possui nenhuma propriedade tóxica ou venenosa”, comentou.

Outra curiosidade é com relação à cor de algumas borboletas. Segundo o biólogo, as borboletas que apresentam tonalidade azul não possuem nenhum pigmento dessa cor. A estrutura das escamas que recobrem as asas é que fraciona a luz e faz com que as pessoas as vejam azuis.

O viveiro onde as espécies ficam foi planejado para dar condições de alimentação e reprodução para as borboletas. Além dos diferentes tipos de plantas, no local também há potinhos com pedaços de frutas e outros alimentos que são ofertados a elas.

Mais informações sobre as ações da Fundação José Pedro de Oliveira podem ser obtidas no site www.fjposantagenebra.sp.og.vo.br ou pelo e-mail contato.fundacao@fjposantagenebra.sp.gov.br.

Mata de Santa Genebra

Localizada no Distrito de Barão Geraldo, em Campinas, a Unidade de Conservação Arie Mata de Santa Genebra é o maior remanescente de Mata Atlântica da Região Metropolitana de Campinas e uma das maiores florestas urbanas do País.

A reserva ecológica possui 251,7 hectares de Mata Atlântica, totalizando um perímetro de 9 quilômetros. É uma Unidade de Conservação Federal com grande diversidade de fauna e flora nativa. São mais de 600 espécies de plantas e 337 espécies de animais, sendo 227 aves, 51 mamíferos, 33 répteis, 21 anfíbios e cinco peixes.

A Mata é administrada pela Fundação José Pedro de Oliveira, uma autarquia municipal, que desenvolve diversas linhas de pesquisa com o objeto de registrar as espécies presentes e preservar a área. Também é usada por pesquisadores de diversas regiões como fonte de estudo.

No local, também são realizadas diversas atividades voltadas para a população, também com o objetivo de aproximar a comunidade da floresta, sempre com foco na preservação. Entre as atividades realizadas estão a Visita Monitorada (para a comunidade e escolas); O programa A Mata Vai; o Ecoférias na Mata; o projeto Fotografia da Natureza na Mata; o Construtores de Florestas; o #vemborboletar; o programa de Voluntariado; além da Feirata – a Feira da Mata e a Corrida Ecológica Mata de Santa Genebra.

SERVIÇO

Mata Santa Genebra

Local: Sede da Fundação José Pedro de Oliveira (Rua Mata Atlântica, 447, Bosque de Barão Geraldo).
Fone: 19.3749.7200

Imagens: Divulgação – fotos Carlos Bassan

Mais em: Campinas

 

Mais Acessadas

Início