Dança

As 3 coisas que o artista da dança precisa aprender para se destacar

Para criar uma carreira de sucesso, o artista precisa aprender ser empresário e atleta todos os dias.

Ser profissional da dança é mais do que saber se mexer e ter criatividade. É preciso saber empreender e evoluir diariamente.

Não é de hoje se escuta histórias de pessoas com grande potencial para ser referência, mas por algum motivo essas pessoas não chegam lá. Nas grandes cidades como São Paulo, Los Angeles, Rio de Janeiro a concorrência é grande e a luta dos artistas que buscam um espaço nos palcos é diária.

“Não é falta de paixão pela dança. É modelar essa paixão em outras áreas da vida que faz com que o artista alcance o sucesso”- Diz Tami Saito, Coach de Artistas e Sócia-fundadora da plataforma Anacã inPulse.

Segundo a Coach o artista precisa desenvolver habilidades de empreendedorismo, treinar como um atleta durante a semana e estudar com os melhores e de forma consistente.

Recentemente as danças urbanas foram oficializadas como esporte olímpico e para quem usou essa estratégia de crescer como empreendedor e atleta com certeza se dará bem. Mas para quem não começou a se preparar ou quer ir mais fundo, quais são os melhores caminhos? Veja as dicas que a Coach Tami Saito compartilha:

1- Rotina.

O artista precisa de rotina para sentir a estabilidade que a carreira por si só não promove.

“Nosso cérebro aprende coisas novas. Esse aprendizado se dá através da repetição das informações e ações. A melhor maneira de desenvolver uma nova forma de pensar e eliminar limitações é entrar em contato com conteúdo que te faça ver, ouvir e sentir o sucesso diariamente.”

2- Autoconhecimento.

Ser mestre de si mesmo. Saber seus pontos fortes, fracos e como colocar o melhor de si à disposição nos momentos de decisão.

“Muito se fala sobre o ego de forma negativa quando se trata da vida artística, mas o ego por si só não é negativo. O artista que aprende a observar como pensa, sente e age tem possibilidades de mudar e evoluir com mais facilidade. O que não desenvolve seu poder de se observar passa muito tempo se comparando e isso por si só atrasa a sua própria evolução.

3- Ter um Coach ou Mentor.

Existem níveis de aprendizagem. O primeiro é o aprendizado ingênuo que é sem ação proposta pelo artista. O segundo é o artista que aprende por conta das circunstâncias e o terceiro é o que intencionalmente busca aprender com alguém mais experiente ou que exija dele algo que ele necessita  aprimorar. Um coach ou mentor são caminhos eficientes.

“Quando o artista me procura ele não sabe muito bem o que quer ainda. Por sua personalidade abstrata e não linear, seus sentimentos falam mais alto que seus pensamentos, no entanto quando o artista percebe que há caminhos eficazes através das sessões para alavancar sua carreira ele dá tudo de si e alcança resultados surpreendentes”.

Por fim, seja empreendedor, atleta ou artista, ter rotina, se auto conhecer e contar com a ajuda de alguém que consegue concretizar os pensamentos e sentimentos do artista é fundamental para quem deseja seguir carreira profissional. Técnicas como negociação, vendas, plano de ação, inovação, foco e resistência sob estresse são alguns dos pontos trabalhados durante a trajetória. Tami Saito que também é empreendedora, trouxe recentemente para o Brasil uma ferramenta que encontra o DNA de sucesso dentro das pessoas através de seus comportamentos e competências. Tami estudou artistas de alta performance e mapeou níveis para cada traço comportamental que o artista deve desenvolver para alavancar sua carreira.

Tolerância sob estresse, níveis em que vivencia e demonstra sentimentos como a raiva, níveis de empatia, simpatia, autoconfiança são um dos 29 traços que a Coach estudou e trabalha com os artistas através da sua ferramenta.

Imagem: Divulgação

Mais em: Anacã inPulse e DINO

Mais Acessadas

Início