Comportamento

CARNAVAL: Vera Cruz Hospital e Emdec fazem “blitz do bem” sobre consumo de álcool e drogas

Ação distribuirá material de conscientização na quinta-feira (24), entre 11h e 13h, no cruzamento das avenidas Francisco Glicério e Aquidabã.

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) registrou, em 2020, 61 mortes na malha urbana de Campinas, sendo que 35 testaram positivo no teste de alcoolemia. Em 48,5% notou-se dosagem alcoólica proibitiva. O cenário ganha destaque na semana do Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo (20/02), bem como a chegada do feriado de Carnaval (25/02), conhecido nacionalmente pelos excessos. Para alertar a população dos riscos da soma drogas e direção, o Vera Cruz Hospital, em parceria com a Emdec, realiza uma blitz de cunho educativo na quinta-feira (24) sobre o tema.

Entre 11h e 13h, uma equipe da Emdec fará a entrega, no cruzamento das avenidas Francisco Glicério e Aquidabã, de um folder produzido pelo Vera Cruz Hospital. Além de dados de acidentes ocasionados pelo consumo das drogas, o material trará um QR Code, pelo qual motociclistas, motoristas e pedestres poderão acessar vídeos de especialistas do hospital explicando sobre as consequências do consumo de drogas e álcool no organismo.

A dependência química (drogas lícitas ou ilícitas) ou “transtorno por uso de substância” é caracterizada, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma doença. No organismo, os efeitos do álcool podem deixar graves sequelas ou lesões irreversíveis. Segundo Gisele Figueiredo Ramos, médica clínica e nutróloga do Vera Cruz Hospital, o consumo contínuo da bebida pode acarretar em inúmeros problemas de saúde. “O vício em álcool atinge principalmente o fígado e as áreas cerebrais responsáveis pelo controle da motricidade, afeta a memória e as capacidades de raciocínio e concentração”, destaca.

O consumo de drogas lícitas e ilícitas também pode causar diversos efeitos colaterais no organismo em curto ou longo prazo. “Pode haver mudanças no apetite e no sono, alterações na frequência cardíaca e na pressão arterial, e o desenvolvimento de doenças mentais”, explica a especialista.

Segundo o Centro Nacional sobre Dependência e Abuso de Substância, da Universidade de Columbia, 40% a 50% dos fatores que levam ao transtorno por uso de substâncias psicoativas são genéticos. De acordo com o médico psiquiatra Petrus Raulino, também do Vera Cruz Hospital, além dos fatores genéticos, há também sociais, ambientais, biológicos, histórico de vida com dificuldades e situações traumáticas na infância, características de personalidade, como impulsividade, ou mesmo problemas psiquiátricos de base. “São motivos que, somados, podem colaborar para o desenvolvimento da compulsão por substâncias. Nossa missão é cuidar das pessoas, porque a dependência ou abuso de substâncias provoca consequências negativas, não somente de cunho social, mas também na saúde física e psíquica”, detalha.

Segundo o especialista, pesquisas internacionais apontam que, cerca de 90% das pessoas com transtorno por uso de substâncias químicas tiveram o primeiro consumo na infância ou adolescência. Por outro lado, entre todos os indivíduos que fazem uso de substâncias antes dos 18 anos, 25% evoluem para a dependência ou abuso. Antes dos 21 anos, essa conta é de um a cada 25 indivíduos. “Quanto mais jovem, maior o perigo. Crianças e adolescentes são de extremo risco. Para os adolescentes, medidas educativas com espaço para diálogos sem julgamento podem ajudar na prevenção”, pontua o psiquiatra.

Para tratar a doença, Raulino ressalta a importância de se levar em conta as características e o momento vivido pelo indivíduo. “O acompanhamento deve ser feito por uma equipe assistencial multiprofissional, com psiquiatra e psicólogo geralmente em consultórios e, durante a intoxicação ou em crises de abstinência, por meio de atendimento médico de urgência e emergência, além de eventual encaminhamento para internação psiquiátrica em serviço especializado em casos extremos. Grupos de apoio e terapia familiar são de extrema importância na reabilitação”, assinala.

Drogas X Direção

Segundo a Organização Mundial da Saúde, em todo o mundo, três milhões de mortes anuais são resultados do uso nocivo do álcool, que representam 5,3% de todos os óbitos. Muitos, oriundos de uma combinação desastrosa: drogas e direção. Segundo dados do governo estadual de São Paulo, entre janeiro de 2019 e julho de 2021 aconteceram 12.470 acidentes de trânsito com suspeitas de embriaguez ao volante, com 892 mortes.

Os acidentes de trânsito também podem acarretar em traumatismo craniano, fratura exposta, hemorragia interna, fratura na bacia e fratura na coluna vertebral (que pode levar à paraplegia ou à tetraplegia).

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) diz que dirigir sob a influência de álcool ou recusar-se a soprar o bafômetro são consideradas infrações gravíssimas, de acordo com os artigos 165 e 165-A. A multa para tais situações é de R$ 2.934,70. No caso de reincidência no período de 12 meses, a pena dobra (R$ 5.869,40) e a CNH é cassada.

Serviço

Blitz do bem

Data: 24 de fevereiro (quinta-feira)

Horário:das 11h às 13h

Endereço:cruzamento das Avenidas Francisco Glicério e Aquidabã, Centro, Campinas – SP

Sobre o Vera Cruz Hospital

Em 78 anos de existência, o Hospital Vera Cruz é reconhecido pela qualidade de seus serviços, capacidade tecnológica, equipe de médicos renomados e por oferecer um atendimento humano que valoriza a vida em primeiro lugar. O Vera Cruz dispõe de 167 leitos distribuídos em diferentes unidades de internação, em acomodação individual (apartamento) ou coletiva (dois leitos), UTIs e maternidade. A Instituição conta também com setores de Quimioterapia, Hemodinâmica, Câmara Hiperbárica Monoplace, Radiologia (incluindo tomografia, ressonância magnética, densitometria óssea, ultrassonografia e raio x), e laboratório com o selo de qualidade Fleury Medicina e Saúde. Em outubro de 2017, a Hospital Care tornou-se parceira do Vera Cruz. Em quatro anos, a aliança registra importantes avanços na prestação de serviços gerados por investimentos em inovação e tecnologia. Em médio prazo, o grupo prevê expansão no atendimento com a criação de dois novos prédios erguidos na frente e ao lado do hospital principal, totalizando 17 mil m² de áreas construídas a mais. Há 30 anos, o Vera Cruz inaugurou e mantém a Fundação Roberto Rocha Brito, referência em treinamentos e cursos de saúde na Região Metropolitana de Campinas, tanto para profissionais do setor quanto para leigos, e é uma unidade credenciada da American Heart Association.

Imagens: Divulgação – Foto abertura Matheus Frade no Unsplash

Mais em: Vera Cruz Hospital e WGO Comunicação

Imagem: Divulgação – Dra. Gisele Figueiredo / Foto Matheus Campos

Imagem: Divulgação – Dr. Petrus Raulino / Foto Matheus Campos

Mais Acessadas

To Top