Cinema

Três curtas-metragens do BRASIL vão concorrer no Festival de Berlim

Lista do evento tem ‘Alma Bandida’, de Marco Antônio Pereira, ‘Terremoto Santo’, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, além de ‘Russa’, do português João Salaviza e do brasileiro Ricardo Alves Jr.

Um total de 22 curtas de 18 países, entre eles três brasileiros, concorrerão pelo Urso de Ouro e de Prata na 68ª edição do Festival de Berlim, que começa em 15 de fevereiro, informaram nesta terça-feira(9/1) os organizadores do festival.

Os curtas em competição concorrem também à indicação de melhor curta europeu e ao Audi Short Film Award, no valor de 20 mil euros. Eles mostram a realidade e contribuem ativamente ao atual discurso político e social, segundo o evento.

Entre os filmes brasileiros figuram “Alma Bandida”, de Marco Antônio Pereira, e “Terremoto Santo”, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, além da coprodução “Russa”, do português João Salaviza e do brasileiro Ricardo Alves Jr.

Os cineastas responsáveis pelos curta-metragens selecionados “capturam pequenos momentos, histórias e temas locais e os conectam com eventos de grande impacto”, acrescenta a organização sobre os filmes em concurso.

A experimentação é ordem do dia, já que trata-se de filmes animados, documentários ou ficção, e o elemento performático faz parte da estratégia, aponta.

Além disso, a relação de sexos e as estruturas de poder, longe de ser equilibrada, são também temas destes trabalhos.

A seção “Berlinale Shorts” está interessada nas narrações de ficção que vão além dos formatos usuais e está aberta a métodos criativos que encontrem novas formas dramatúrgicas para elevar a tensão e o suspense, lembra o comunicado.

A seção “Berlinale Shorts” oferecerá também um programa especial dedicado ao 50° aniversário da Revolução de 1968 com 12 filmes da Alemanha, Áustria, Suécia e Estados Unidos que “mostram estratégias estéticas que ainda hoje seguem sendo atuais”.

O júri internacional de curtas estará formado pelo cineasta português Diogo Costa Amarante, ganhador do Urso de Ouro de melhor curta-metragem na passada edição do Festival, o produtor americano Mark Toscano e a diretora e cientista sul-africana Jyoti Mistry.

Imagem: Divulgação – Cena de Terremoto Santo, curta de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca.

Mais em: G1 Globo

Mais Acessadas

Início