Moda

Qual a importância do visagismo nos cortes curtos femininos e masculinos?

Visagistas estão aptos a olhar com mais cuidado para a composição do rosto e dos gostos de cada cliente, oferecendo inclusive projetos ao invés de só serviços.

Com a chegada do verão, muitas mulheres se encorajam para apostar nos cortes mais curtos que, além de serem mais confortáveis e práticos nos dias mais quentes, garantem muito estilo, charme e empoderamento. O que já é fato entre os homens em virtude do surgimento de inúmeras barbearias.

Mas, um corte bem feito vai muito além da habilidade com as tesouras. Profissionais cabeleireiro com formação acadêmica, seja graduação, pós-graduação e MBA ou especialização através de curso técnicos em visagismo, uma ciência que valoriza a harmonização da imagem através de estudos da individualidade, estão “aptos a olhar com mais cuidado para a composição do rosto e dos gostos de cada cliente, garantindo resultados certeiros, é o que garante o mestre e doutorando em TIDD PUC-SP, com tese em visagismo, Robson Trindade.

Desapegar é preciso?

De acordo com o profissional, o maior medo de quem quer mudar o corte de cabelo está relacionado ao comprimento. “No dia da mudança, a maioria das mulheres acaba desistindo pelo apego aos cabelos longos e ainda por ser desestimulado pelo próprio cabeleireiro. Por isso, acho importante que o profissional pontue as vantagens e desvantagens dos fios longos para que ela possa entender o que melhor se encaixa com sua personalidade e rotina.

Segundo Robson Trindade, uma das principais vantagens de ter os cabelos longos é a facilidade de amarrar ou prender para criar novas faces e a possibilidade de fazer penteados diferenciados para festas de gala. Mas, o profissional questiona “quantas vezes ao ano a mulher vai em uma festa dessas?

Por outro lado, Visagista Robson alerta que a manutenção dos fios longos exige tempo e disposição para lavar, hidratar e secar os fios diariamente.

O visagismo e a escolha do corte

Conhecendo as vantagens e desvantagens dos cabelos longos e as dificuldades de algumas mulheres na hora de escolher pelo corte curto, o papel do profissional cabeleireiro como um consultor visagista com atenção exclusiva que leva em conta cada indivíduo com suas peculiaridades é determinante. Contudo ainda existe atualmente a possibilidade de se adquirir um projeto de corte, um recurso muito especial e contemporâneo, segundo os visagistas entrevistados, Professora de visagismo Thaís T. Melro Milhomens, profissional facilitador Rogério Molina e a Professora Mestre Tania Trindade.

“Entender alguns pontos é essencial para direcionar a cliente ao caminho correto. Agendar uma entrevista parece ser o primeiro passo, nunca em hipótese nenhuma converse com o cabeleireiro em pé atrás de você. Por exemplo, saber se é a primeira vez que ela fará um corte radical no cabelo é uma primeira pista reveladora. Neste caso, uma transformação menos agressiva com cortes um pouco abaixo dos ombros é a melhor saída, um processo de avanço ao encontro do cabelo curto de forma homeopática, porque assim ela se sente confiante e não estranha a mudança, explica Trindade.

O mestre e doutorando visagista Robson, aponta que os cabelos demoram para se adaptar a mudanças muito radicais nos comprimentos dos cabelos e a forma gradativa de encurtar os cabelos ajuda os fios a se adaptarem melhor ao novo comprimento.

Mas, entender a personalidade da mulher é essencial para indicar cortes mais curtos para as mais ousadas, que já estão decididas por um corte mais curtinho. Ainda explica que as mulheres maduras não devem cortar os cabelos curtos, por que garante que o cabelo é um recurso de camuflagem da real aparência.

“Toda mudança exige um estado de espírito de mudanças, isto é, por mais que a mulher esteja 100% decidida, pode ser que estranhe o seu novo visual e passará pelo processo de descoberta da autoimagem, a imagem que qualquer indivíduo tem de si mesmo, ilustra Robson.

Segundo ele, ao se trocar um corte de cabelo, pode surgir uma nova pessoa e isso pode trazer um certo desconforto à medida que a mudança é feita sem uma técnica específica que auxilie na transformação, os projetos que antecipam o corte é a melhor e mais moderna forma de planejamento.

O que é aparência? ou ainda o tema autoimagem real, é algo que a maioria dos profissionais da área da beleza desconhece, porém é de grande responsabilidade quando o tema é a mudança de imagem projetada, com intenção de passar um certo discurso. Resumidamente, a autoimagem pode estar ligada aos velhos hábitos e costumes, e para que a mudança aconteça, é necessária a aceitação dessa nova construção, finaliza cabeleireiro mestre e especialista em visagismo.

5 estilos de cortes feminino curtos

Robson Trindade aponta cinco cortes com os quais se sente confortável em indicar com o foco no embelezamento e segurança feminina durante a transformação: Através de um olhar visagista, seja com projeto ou diretamente a execução do serviço.

1 – Short Bob

O short Bob está na lista de top 3 do Mestre Visagista.

“Um corte superdescontraído apesar de ser da família dos clássicos. Esse corte de cabelo feminino é aquele que nunca sairá de moda, atualmente supercontemporâneo. Minha sugestão é optar por um short bob sem deixar a nuca tão aparente para não estranhar logo de cara.

Aquelas que querem um visual mais descontraído devem escolher em deixar um bico frontal em destaque.

2 – Blunt Bob

Para a mulher que já é mais desapegada e tem um estilo mais ousado, uma espécie de Chanel repaginado é uma boa opção. A linha do blunt bob segue a mesma do Chanel clássico, porém com algumas mudanças de estilo. A principal característica deste corte é o que Robson Trindade denomina como efeito de corte de cabelo feito com um machado. A impressão é de um corte bem reto e marcado, quando utilizado de forma descontraída confere um efeito ultramoderno e descolado.

“Ela pode optar também em deixar reto ou com as pontas perfiladas sem criar camadas, deixando assim, as pontinhas finas e suaves.

3 – Long Bob

O long bob é o recordista em transformação, segundo o relato de Robson. “Geralmente a cliente chega decidida a deixar bem curto e no final opta pelo long bob, que garante segurança”. Mas todas as mulheres parecem iguais, muito cuidado em parecer comum, embora atual a padronização é muito genérica.

Esse tipo de corte gera confiança, pois ainda mantém o comprimento dos fios abaixo dos ombros, o que garante que voltem a crescer rapidamente. Sobretudo procure com o visagista, detalhes que lhe darão a identidade especial e diferenciada.

4 – Super long Bob

Corte que fica, em média, 10 cm abaixo da altura dos ombros, com base reta, semelhante ao Chanel, porém muito mais longos. Este corte é o mais indicado para transformações cujos fios são extremamente longos.

5 – Pixie CUT

Essa é a escolha de uma mulher superdecidida e que sabe o que quer. Esse corte de cabelo feminino curto é o famoso Joãozinho, que ganhou uma versão repaginada. A nuca batida e as laterais ultra curtinhas fazem com que ela possa optar por 3 estilos modificando apenas a franja.

“Eu sugiro deixar uma franja alongada de início para que ela consiga explorar a cada mês uma nova versão. Com o topo e franja média, a moça ganha um outro efeito – sempre levando em consideração o desfiado presente nas 3 versões.

Finalmente, na versão de nuca, laterais e topo curtinho consegue ser a versão mais curta de todas as opções.

A roupa da alma

Trindade finaliza com uma perspectiva de ser “o rosto a janela da nossa alma e o cabelo, a roupa. Entende-se, portanto, que a mudança se faz necessária para que a pessoa se “vista melhor”, num mundo onde a primeira impressão é a que fica sempre.

Imagens: Divulgação

Mais em: Birô de Visagismo e DINO

Mais Acessadas

Início