Cultura

Ocupe.Arte: Conexões adota programação online devido à quarentena

A mostra cultural foi criada com o objetivo de difundir a identidade cultural da RMC.

O projeto de incentivo à cultura da RMC (Região Metropolitana de Campinas) Ocupe.Arte: Conexões transpôs suas atividades, que  aconteceriam no mês de abril, ao meio virtual, devido à pandemia do Coronavírus. A exposição física será remarcada para uma data posterior à quarentena.

O Ocupe.Arte: Conexões é uma mostra de artes que tem como propósito revolucionar o consumo de cultura no interior ao mesmo tempo que resgata nomes históricos da região por meio de métodos criativos e modernos. O evento é organizado pela Ocupe.Arte, projeto independente de Valinhos.

A iniciativa, que originalmente contaria com três exposições de arte nas cidades de Valinhos e Vinhedo, com uma série de dinâmicas realizadas durante a semana, como oficinas, visitas fotográficas e debates, devido ao surto da Covid-19 foi adaptada para atividades online para preencher a demanda de cultura da população na quarentena, que não pode visitar e frequentar museus, cinemas, concertos e exposições.

“A importância de manter o Ocupe.Arte online é a população ter na cultura aliados para enfrentar essa maré de notícias ruins. É uma maneira de romper o pessimismo que tem dominado o debate nacional nas últimas semanas”, reforça Tomás Cajueiro, co-criador do projeto.

Uma biblioteca virtual, com livros de arte e cultura gratuitos, está no ar no link www.ocupearte.com.br/biblioteca. Estão no catálogo as obras “Guia do Artista Visual”, de Cristina Tejo, e “Arte e Ruptura”, de Pedro Sussekind, entre outros. Em breve entrará também no site a série “Conversas”, um bate-papo com 15 artistas e empreendedores que foi produzido em 2019, além de vídeos-poemas de Má Ambar.

Desde a quarta-feira (25/3), lives no Facebook da Ocupe.Arte são realizadas duas vezes por semana com artistas, professores, curadores e outros profissionais da cultura que discorrem sobre o mundo da cultura e seu trabalho. No domingo (29/3) às 16h, o co-criador do projeto, Tomás Cajueiro, falou sobre sua experiência profissional como fotógrafo e produtor cultural, além de comentar sobre sua vida na Itália, onde hoje ele reside, e como o Coronavírus impactou seu trabalho. Já na quarta feira, 01/04 às 19h, o curador e professor Andrés Inocente Martín Hernández, fez um bate papo sobre os desafios e possibilidades da produção de arte em realidades do interior do estado.

A série #euartista, que consiste em vídeos de cerca de 05 minutos nos quais artistas apresentam seus trabalhos que fazem parte do projeto, entrará no ar ao longo da próxima semana. Neles, os artistas da mostra falam sobre seus trabalhos expostos, suas inspirações e sonhos. Serão lançados dois por semana. O espetáculo deve continuar, e a demanda por cultura em épocas de crise não deve ser subestimada.

Sobre o Ocupe.Arte

Idealizado por Tomás Cajueiro, fotógrafo e gestor cultural, e Genivaldo Amorim, artista visual e curador, o Ocupe.arte começou em janeiro de 2017 com uma exposição coletiva que reuniu 25 artistas em um imóvel emprestado por um casal de empresários da cidade. Entusiastas e profissionais da arte, Tomás e Genivaldo realizaram o evento como um grande alerta para a falta de espaços públicos adequados para exposições na cidade.

Com do sucesso da exposição e percebendo que havia uma demanda grande por arte em Valinhos, Tomás e Genivaldo, então, continuaram o projeto artístico sob o selo “Ocupe.Arte”. Em março de 2019, um projeto que foi muito impulsionado nas mídias e redes sociais teve início: um álbum de figurinhas, ao estilos dos álbuns da Copa do Mundo, com os artistas valinhenses. 200 figurinhas, de 50 artistas, eram trocadas pela população todo final de semana, em praças públicas.

A ideia tinha um objetivo, estreitar os laços entre os artistas da cidade e o público, carente de cultura em uma cidade sem museu, mas serviu para fortalecer ligações sociais.. O objetivo de Tomás e Genivaldo, aliás, com o “Ocupe.Arte” é, além de incentivar a produção e consumo de cultura em Valinhos, e, agora em Vinhedo, render conexões.

Imagens: Divulgação

Mais em: Ocupe.Arte e VIRA Comunicação

Mais Acessadas

Início