Jornalismo

Jornal Nacional completa 50 anos com lançamento de livro

Apresentadores, repórteres de várias gerações, editores, produtores, repórteres cinematográficos e técnicos participaram do evento.

O Jornal Nacional completou 50 anos no domingo (1º/09/2019) e a comemoração foi com o lançamento de um livro em homenagem a todos que fizeram e fazem parte dessa história.

Quanta história num abraço, quanta imagem numa selfie. Quantas vezes a gente já não cumprimentou essa turma?

“Eu assistia à TV Globo desde os meus tempos de pequena, quando nasci em São Jerônimo, lá no interior do Rio Grande do Sul, eu dava do outro lado da tela boa noite para esses dois aqui. Quando eles falavam boa noite, eu falava: boa noite, boa noite Cid, boa noite Chapelin”, contou Patrícia Poeta.

Quando param para pensar, nem eles acreditam que receberam uma tarefa tão importante: resumir um dia de notícias do mundo inteiro para dezenas de milhões de brasileiros.

“Sou um locutor vindo do interior, que falava para uma rádio de 100 watts de potência, e aí você passa a falar para o Brasil inteiro, eu vou reclamar de quê? Muita sorte, muita sorte, algum talento e muita determinação, muita disciplina”, declarou Sérgio Chapelin.

Armando Nogueira, que morreu em 2010, criou o Jornal Nacional ao lado de Alice-Maria e foi então que, no dia 1º de setembro de 1969, a expressão “boa noite” ganhou rostos e nomes.

“O meu boa noite para vocês”, disse Cid Moreira sob aplausos.

E há 50 anos tem sido assim: às vezes, depois do boa noite, a noite é boa mesmo. Outras vezes, dizer boa noite é só uma formalidade da boa educação, porque as notícias são muito tristes.

Os dias alegres e tristes têm em comum a dedicação dessa turma. São centenas de editores, produtores, técnicos, repórteres diante das câmeras e por trás das imagens, pessoas que a vida juntou em torno de uma paixão em comum: os olhos que brilham diante da notícia.

“Ter uma equipe de profissionais muito experimentados, jornalistas profissionais que fazem essa curadoria para trazer a informação checada, rechecada, combater as fake news, acho que hoje um desses legados do Jornal Nacional é justamente essa capacidade da equipe de levar até o espectador a informação checada e rechecada. E combater a fake news também é um dos legados”, afirmou Renata Vasconcellos.

Melhor do que fazer 50 anos é poder reunir quem fez parte dessa história. Foi uma noite de abraços e lembranças. Quem está acostumado a dar notícias todos os dias pôde sentar e assistir. O pensamento logo se encaminhou para os amigos queridos que não estavam na festa.

Na tela, os que morreram no exercício do jornalismo, aquele abraço que faltou.

Meio século de recordações e a história das pessoas que, por 50 anos, nos contaram histórias está gravada num livro: “JN, 50 anos de telejornalismo”. Nas páginas, o relato de quem participou da nossa vida por alguns minutos, todos os dias.

“O livro de 50 anos reúne depoimentos de nós todos que integramos esse grupo, que fazemos o JN, depoimentos colhidos pelo Memória Globo. São temas obrigatórios num livro de cinquentenário, que tem sempre um texto introdutório redigido por alguém que abraça tudo aquilo que você lerá nos depoimentos seguintes. É um livro muito bonito, a gente espera que todos gostem e se emocionem com eles”, declarou William Bonner.

É a história de uma ideia que, naquela época, parecia quase impossível: unir o Brasil por uma rede de televisão. Hoje, 50 anos depois daquele sonho, graças ao Jornal Nacional, o Brasil conhece melhor a si mesmo.

O presidente do Conselho Editorial do Grupo Globo, João Roberto Marinho, lembrou o valor de quem acreditou nessa ideia desde o início.

“Tenho certeza que o Roberto Marinho estaria muito emocionado se estivesse hoje aqui com a gente, de ter visto todo o percurso desses 50 anos. […] O Jornal Nacional teve um papel fantástico na TV Globo, junto com suas afiliadas, nossas 5 estações mais 117 afiliadas, com toda essa equipe pelo Brasil inteiro. Cumpriu um papel ao longo desses anos inigualável, e o melhor de tudo é o brasileiro sentindo o esforço, a qualidade, a isenção da nossa informação, dando sempre preferência a nós. Além de acreditarmos que a televisão aberta vai continuar sendo, apesar de toda a competição, de toda essa disrupção, de internet, blogs, enfim, todas essas coisas, a televisão aberta vai continuar sendo o grande veículo de comunicação de massa no Brasil e em diversos países do mundo. E nós podemos garantir a vocês que, claro, devido a essa crença, nós vamos continuar investindo para que todos vocês, respeitando sempre os valores do Grupo Globo e os Princípios Editoriais do Grupo Globo, possam continuar realizando o trabalho que vocês têm feito, e nós vamos continuar ainda por muitas décadas com essa liderança que nós temos. Então, parabéns a todos nós pelo que nós fizemos e pelo que vamos fazer”, disse Marinho.

O diretor-geral da Globo, Carlos Henrique Schroder, ressaltou os elementos que constroem o programa que está no ar há mais tempo em nossa tela.

“É hora de comemorar, de vibrar, e aos 50 anos foi uma entrega diária, de jornais com credibilidade, como disse o João, com isenção, imparcialidade. E entregando um dos bens mais importantes que o cidadão pode ter, que é a informação correta. Todo dia o Jornal Nacional entrega a informação correta. E eu acho que a gente pode fazer essa representação através de alguns elementos: as mãos, os olhos, a voz e as mentes. As mãos de todos que escrevem que buscam sempre a palavra mais adequada. A voz de repórteres, de apresentadores que tenta narra sempre o texto mais fidedigno, o texto mais correto. A lente e os olhos dos repórteres cinematográficos que buscam sempre a imagem mais perfeita. E as mentes que buscam a cada dia fazer o melhor Jornal Nacional”, disse.

É dia de comemorar junto com aqueles que entraram em nossa casa todas as noites.

“Quando comecei a fazer telejornalismo, eu nem imaginava que um dia as mulheres estariam naquela bancada, então, ter podido ser uma daquelas mulheres é incrível para a minha história. Acho que me capacitou para muita coisa. É uma história total no jornalismo de 25 anos, então, ter passado 14 deles no Jornal Nacional foi maravilhoso. Estou muito feliz de estar aqui”.

Os amigos que frequentavam a nossa sala agora estão mais próximos ainda. Hoje nos acompanham no celular, voltando do trabalho, em qualquer lugar.

“No meu tempo, o jornal era analógico, hoje é digital. No meu tempo, a bancada era de compensado, hoje é uma nave espacial. Então, todos estão de parabéns, obrigado a todos”, disse Cid Moreira.

Mudar uma obra sem perder a essência; o nome desse alicerce é credibilidade.

“Nos dias de hoje, a celebração de um órgão de imprensa com a relevância do Jornal Nacional completando 50 anos é uma forma de dizer ao Brasil que nós, jornalistas profissionais, estamos aqui, estamos atentos e não desistimos, mesmo que os percalços sejam grandes e crescentes. Nós não desistimos, nós estamos aqui em nome do nosso compromisso profissional, e esse compromisso é com o povo brasileiro, com o cidadão brasileiro, com a democracia”, afirmou William Bonner.

E assim, o passado e o presente conversam para construir o futuro. Especialmente nesta data, se pudesse, a turma do boa noite atravessava a tela e dava um abraço também.

Na comemoração dos 50 anos do Jornal Nacional, a TV Globo revezará 50 âncoras na bancada do primeiro telejornal a ser transmitido em rede nacional por todo o Brasil.

Sortearam 27 jornalistas de diferentes afiliadas e emissoras da TV Globo distribuídas por todos os estados e Distrito Federal. Os jornalistas comandarão o jornal, por um dia, todos os sábados a partir de 31 de agosto.

Aqui a lista dos 27 apresentadores:

  1. Acre: Ayres Rocha – apresentador do Jornal do Acre 2ª Edição
  2. Alagoas: Filipe Toledo – apresentador do AL TV 2ª Edição
  3. Amapá: Aline Ferreira – apresentadora do Jornal do Amapá 1ª Edição
  4. Amazonas: Luana Borba – apresentadora do Jornal do Amazonas 1ª Edição
  5. Bahia: Jéssica Senra – apresentadora do Bahia Meio Dia
  6. Ceará: Tais Lopes – apresentadora do Bom Dia Ceará
  7. Distrito Federal: Fábio William – apresentador do DF1
  8. Espírito Santo: Philipe Lemos – apresentador do ES1
  9. Goiás: Matheus Ribeiro – apresentador do Jornal Anhanguera 2ª Edição
  10. Maranhão: Giovanni Spinucci – apresentador do JMTV 2ª Edição
  11. Mato Grosso: Luzimar Collares – apresentadora do MT2.
  12. Mato Grosso do Sul: Lucimar Lescano – apresentadora do MS2.
  13. Minas Gerais: Aline Aguiar – apresentadora do MG1
  14. Pará: Priscilla Castro – apresentadora do Jornal Liberal 1ª Edição
  15. Paraíba: Larissa Pereira – apresentadora do JPB 2ª Edição
  16. Paraná: Sandro Dalpícolo – apresentador do Boa Noite Paraná
  17. Pernambuco: Márcio Bonfim – apresentador do NE1
  18. Piauí: Marcelo Magno – apresentador do Piauí TV 1ª Edição
  19. Rio de Janeiro: Mariana Gross – apresentadora do RJ1
  20. Rio Grande do Norte: Lidia Pace – apresentadora do RN TV 2ª Edição
  21. Rio Grande do Sul: Cristina Ranzolin – apresentadora do Jornal do Almoço
  22. Rondônia: Ana Lídia Daíbes – apresentadora do Jornal de Rondônia 2ª Edição
  23. Roraima: Ellen Ferreira – apresentadora do Jornal de Roraima 1ª Edição
  24. Santa Catarina: Fabian Londero – apresentador do NSC Notícias
  25. São Paulo: Carlos Tramontina – apresentador do SP2
  26. Sergipe: Lyderwan Santos – apresentador do Bom Dia Sergipe
  27. Tocantins: Thiago Rogeh – apresentador do Jornal Anhanguera 1ª Edição.

Em comemoração aos 50 anos do Jornal Nacional, o “boa noite” do JN terá 27 diferentes sotaques nas noites de sábado. Os primeiros a apresentarem o telejornal, no dia 31 de agosto, foram os jornalistas Márcio Bomfim, de Pernambuco, e Cristina Ranzolin, do Rio Grande do Sul.

Veja quem são os próximos âncoras que vão estar na bancada e conheça a trajetória de cada um deles.

31/08: Márcio Bonfim (Pernambuco) + Cristina Ranzolin (Rio Grande do Sul)

07/09: Ayres Rocha (Acre) + Jéssica Senra (Bahia)

14/09: Sandro Dalpícolo (Paraná) + Luana Borba (Amazonas)

21/09: Philipe Lemos (Espírito Santo) + Ana Lídia Daíbes (Rondônia)

28/09: Carlos Tramontina (São Paulo) + Priscilla Castro (Pará)

05/10: Fábio William (Distrito Federal) + Ellen Ferreira (Roraima)

12/10: Fabian Londero (Santa Catarina) + Aline Ferreira (Amapá)

19/10: Tiago Rogeh (Tocantins) + Tais Lopes (Ceará)

26/10: Lyderwan Santos (Sergipe) + Lucimar Lescano (Mato Grosso do Sul)

02/11: Marcelo Magno (Piauí) + Mariana Gross (Rio de Janeiro)

09/11: Matheus Ribeiro (Goiás) + Larissa Pereira (Paraíba)

16/11: Filipe Toledo (Alagoas) + Luzimar Collares (Mato Grosso)

23/11: Giovanni Spinucci (Maranhão) + Aline Aguiar (Minas Gerais)

30/11: plantonista + Lidia Pace (Rio Grande do Norte)

Imagens: Divulgação

Mais em: Jornal Nacional e G1

Mais Acessadas

Início